Brasil, 14 de Outubro de 2019

TOKIO MARINE SEGURADORA

Distrito Federal passa a usar Inteligência Artificial para apoiar gestão de recursos hídricos e evitar racionamentos

Com o uso de nuvem e recursos de inteligência artificial, a agência implementou um sistema de análise histórica e preditiva para melhorar a gestão de recursos hídricos da região e evitar racionamentos em períodos de estiagem

Responsável pela gestão dos recursos hídricos no Distrito Federal, incluindo os reservatórios que abastecem a população, a Adasa (Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do DF) tem um desafio complexo: gerenciar os usos e os níveis de água para evitar conflitos em períodos de estiagem ou mesmo um novo racionamento. Para lidar com esse cenário, a Adasa passou a contar recentemente com o apoio da Inteligência Artificial na nuvem Microsoft para monitorar cenários e se antecipar a possíveis crises hídricas no DF.

Para fazer uma análise preditiva sobre os próximos períodos secos, a Adasa tem utilizado sensores instalados em diferentes pontos para medir os níveis de água em rios e reservatórios, bem como os índices de chuvas, com medições programadas para cada 15 minutos. Em seguida, essas informações são transmitidas via satélite ao Banco de Dados SQL Server da Adasa, instalado na nuvem Microsoft Azure.

Na sequência, esses dados são processados de forma automática e transferidos para diversos Painéis do Analytics Microsoft Power BI, ferramenta de análise de dados da Microsoft. Por meio do Power BI é possível realizar análises programadas, tais como a comparação das medidas coletadas em tempo real com dados de uma série histórica com mais de 30 anos de registros. Isso permite a avaliação de contextos, percepção de tendências e a projeção de possíveis cenários de comportamento propiciando, por exemplo, a antecipação de períodos de restrição hídrica. Assim, os especialistas têm acesso a relatórios completos e interativos sobre cada reservatório e determinados rios atualizados com frequência horária, inclusive, com a emissão de alertas caso os dados indiquem algum risco de conflito pelo uso da água.

Desde 2009 a Adasa tem instalado sensores em campo para monitorar a chuva, a vazão e os níveis dos reservatórios do Distrito Federal. Contudo, até 2017, só se tinha acesso aos dados quando a equipe ia ao campo, a cada dois ou três meses. A instalação de 16 sensores com transmissão de dados via satélite, associada ao uso do Power BI e de recursos de nuvem, permitem que hoje, não só a visualização dos dados seja feita em tempo real, mas, com base no histórico de chuvas e vazões da região, seja possível fazer análises preditivas capazes de apoiar a tomada de decisão antes mesmo do período de estiagem no DF. De acordo com Geraldo Alves Barcellos, responsável pelo serviço de tecnologia da informação da Adasa, “antes de começar a utilizar o Power BI, esse histórico de mais de 30 anos de dados era menos utilizado pela equipe da Adasa, pois não se tratava de um processo automático a sua comparação com novos dados medidos e o seu uso como base de predição de cenários.” Com a experiência adquirida, outras 30 estações automáticas com transmissão de dados via satélite estão sendo instaladas pela Adasa.

Além apoiar o trabalho de gestão e monitoramento dos recursos hídricos, informações geradas são disponibilizadas para o público por meio do Sistema de Informações sobre Recursos Hídricos do Distrito Federal – (SIRH), disponível no site da Adasa. Desde que o SIRH foi implantado, em 2017, o número de acessos contabilizados até julho 2019 foi de aproximadamente 5 milhões, sendo esses acessos oriundos de todos os continentes, totalizando 99 países. Em determinado momento, chegou-se a 20 mil acessos por dia.

“Casos como o da Adasa demonstram que o Setor Público tem uma enorme riqueza de dados que, por meio de tecnologias como a nuvem e a Inteligência Artificial, pode ser aproveitada para melhorar a gestão de recursos nas mais diversas frentes. Acreditamos na expansão de projetos como o da Adasa, atingindo outras regiões do Brasil e outras áreas nas quais a tecnologia possa beneficiar a população”, afirma Djalma Andrade, vice-presidente de vendas para o Setor Público da Microsoft Brasil. Atualmente, a Adasa concentra todos os seus servidores hospedados no Microsoft Azure, enquanto o Office 365 é utilizado no dia a dia das equipes da instituição.

Para o diretor da Adasa, Jorge Werneck, essas e outras ferramentas têm sido fundamentais para a implantação do Projeto ADASA 4.0, que busca a transformação digital da instituição, gerando maior eficiência nas ações da Adasa e melhor prestação de serviço à sociedade. No caso do SIRH, por exemplo, estamos avançando rapidamente na Gestão INTELIGENTE dos Recursos Hídricos (SMART Water Management). “Queremos que a transformação de dados em informação útil à gestão seja feita de forma rápida e segura, o que também nos permitirá melhor comunicação com a sociedade e maior transparência em nossos serviços”, destaca o diretor.

Sobre a Microsoft

A Microsoft habilita a transformação digital na era da nuvem inteligente e da fronteira inteligente. Sua missão é empoderar cada pessoa e cada organização no planeta a conquistar mais. A empresa está no Brasil há 30 anos e é uma das 110 subsidiárias da Microsoft Corporation, fundada em 1975. Desde 2003, a empresa investiu mais de R$ 600 milhões levando tecnologia gratuitamente para 3.191 ONGs no Brasil, beneficiando vários projetos sociais. Entre 2011 e 2017, a Microsoft já apoiou mais de 6.200 startups no Brasil, com investimento superior a US$ 219 milhões em créditos em nuvem.


Compartilhe:: Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...: https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

Separador
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
Separador
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar que voce sera atendido. - Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta totalmente automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
Separador

Adicionar comentário

Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Ferramenta Automatizada...IMPORTANTE: Comentários com Link são bloqueados automaticamente (Comments with Links are automatically blocked.)...Sucesso!


voltar ao topo

Notícias ::

NEWSLETTER SEGS