Brasil,

TOKIO MARINE SEGURADORA

Crescimento robusto e riscos de uma ‘nova era’ pós-Covid para companhias de construção, diz Allianz (Destaque)

Crescimento robusto e riscos de uma ‘nova era’ pós-Covid para companhias de construção, diz Allianz

O mercado de construção global está definido para um período de forte crescimento pós-Covid-19, impulsionado por gastos governamentais em infraestrutura e pela transição para emissão zero. No entanto, a mudança para edifícios e infraestruturas mais sustentáveis, a melhoria das instalações de energia limpa e a adoção de métodos de construção modernos transformarão o cenário de risco. Esses desafios se somam às cadeias de abastecimento já afetadas, à escassez de materiais e mão de obra e ao aumento dos custos, que há anos apresentam um cenário de margens apertadas para o setor. Um novo relatório da Allianz Global Corporate & Specialty (AGCS), Riscos de Construção pós-Covid, explora tendências de risco iminentes e de longo prazo para o segmento.

“A Covid-19 trouxe uma nova era para a indústria da construção”, afirma Yann Dreyer, Líder do Grupo de Prática Global para Construção na equipe global de Energia e Construção da AGCS. “Enquanto os projetos continuaram durante a pandemia e espera-se um crescimento no setor, o ambiente geral mudou fundamentalmente. A indústria enfrenta novos desafios em torno da volatilidade da cadeia de abastecimento e aumento dos custos de materiais, escassez de mão de obra qualificada e maior foco na sustentabilidade. Além disso, a implantação acelerada de estratégias de corte de custos, novas tecnologias e projetos podem resultar na aceleração de riscos para empresas deste mercado e também para seguradoras. O monitoramento contínuo de riscos e os controles de gestão serão importantes no futuro. Junto com nossos clientes, ajudaremos a gerenciar esses desafios, pois a AGCS está comprometida com a indústria da construção como um setor-alvo chave para nossas iniciativas de crescimento”, completa.

A forte perspectiva de crescimento para o setor é baseada em uma série de fatores, como o aumento da população em mercados emergentes e investimentos significativos em formas alternativas de energia, como eólica, solar e hidrogênio, bem como em sistemas de armazenamento e transmissão. A mudança para o transporte elétrico exigirá investimentos em novas fábricas de baterias e infraestrutura de carregamento. Não se espera somente que os edifícios melhorem sua pegada de carbono, mas também apresentem melhores defesas costeiras e contra enchentes, além de sistemas de esgoto e de drenagem mais eficientes, especialmente em regiões expostas a catástrofes decorrentes dos eventos climáticos extremos mais frequentes. Ao mesmo tempo, governos em muitos países estão planejando grandes investimentos públicos em projetos de infraestrutura para estimular a atividade econômica após a crise pandêmica e conduzir a transição para o baixo carbono. Nos Estados Unidos, um pacote de investimento de mais de 1 trilhão de dólares em infraestrutura foi anunciado, contemplando desde pontes e estradas até a banda larga nacional, passando por sistemas de água e energia. Ao mesmo tempo, o país anunciou planos para investir em uma série de grandes projetos em todo o mundo no próximo ano em resposta ao ambicioso Belt And Road Initiative, que pode se estender do Leste Asiático à Europa. Espera-se que quatro países – China, Índia, Estados Unidos e Indonésia respondam por quase 60% do total de crescimento na construção ao longo da próxima década.

Lado negativo do boom da construção

O boom esperado traz benefícios porém, desafios específicos. No médio prazo, aumentos repentinos na demanda podem colocar as cadeias de abastecimento sob pressão adicional e exacerbar a escassez existente de materiais e mão de obra qualificada, excedendo tanto cronograma quanto custos. Além disso, muitos no setor podem precisar acelerar a implementação de medidas de eficiência e controle de custos se as margens de lucro tiverem sido impactadas pela Covid-19, o que muitas vezes pode prejudicar os níveis de qualidade e manutenção e aumentar a suscetibilidade a erros. A análise da AGCS mostra que defeitos de projeto e mão de obra ineficaz são uma das principais causas de perdas de construção e engenharia, respondendo por cerca de 20% do valor de quase 30.000 sinistros da indústria examinados entre 2016 e o final de 2020.

A sustentabilidade aprimorada e o foco em zero emissão influenciarão fortemente o cenário de risco tradicional no setor de construção. De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, os edifícios e a indústria da construção são responsáveis por 38% de todas as emissões de dióxido de carbono relacionadas com a energia. Para reduzí-las, as edificações existentes precisarão ser reformadas e reaproveitadas. Além disso, novos materiais e métodos de construção precisarão ser introduzidos no mercado em períodos de tempo relativamente curtos. Isso aumentará o risco de defeitos ou ainda, incorrer em consequências inesperadas para a segurança, meio ambiente ou saúde. Por exemplo, como um material sustentável e de baixo custo, o uso de madeira na construção tem aumentado nos últimos anos. No entanto, isso tem implicações para riscos de danos por fogo e água. A análise de sinistros da AGCS mostra que os incidentes de incêndio e explosão já representam mais de um quarto (26%) do valor dos sinistros de construção e engenharia nos últimos cinco anos – a causa de perda mais cara.

Aumentando a escala de energia limpa – riscos renováveis

A expansão da energia limpa também traz novos riscos. Os projetos eólicos offshore estão crescendo em tamanho, movendo-se mais longe no mar e em águas mais profundas, o que significa que os custos associados a atrasos ou reparos estão aumentando. Os parques eólicos offshore, bem como os projetos eólicos e solares onshore, também podem ser expostos a perdas em série. Uma falha de projeto ou fabricação em uma turbina, por exemplo, pode impactar muitos projetos. Também houve grandes sinistros de fundações defeituosas em parques solares e fazendas. Os reparos em cabos submarinos, que pesam milhares de toneladas e exigem a instalação de navios especiais, podem levar mais de um ano. Uma estação conversora offshore sozinha pode custar até US $ 1,5 bilhão, comparável a uma plataforma de petróleo. Um incêndio ou explosão envolvendo um conversor, como visto recentemente na China, pode resultar em perda total.

“Enormes investimentos em energia verde significarão valores maiores em risco, enquanto a rápida adoção de tecnologia de protótipo, métodos de construção e materiais exigirá uma cooperação estreita entre subscrição, sinistros e engenharia de risco interna, bem como entre seguradoras e seus clientes”, diz Olivier Daussin, Líder de Subscrição de Construção da Equipe Global de Energia e Construção da AGCS.

Os dois lados da construção modular

Em última análise, a construção moderna e os métodos de produção têm o potencial de transformar radicalmente o mercado, transferindo mais riscos para fora do local e incorporando um maior uso de tecnologia. A construção modular, em particular, fornece muitas vantagens como gestão de qualidade controlada factory-based, menos desperdício na construção, um cronograma diminuído pela metade em comparação com os métodos tradicionais e menos disrupção no ambiente circundante. No entanto, também levanta preocupações de risco sobre cenários de perda repetitiva. “Há um risco maior de perdas em série com métodos modulares e pré-fabricados, pois a mesma peça pode ser usada em vários projetos antes que uma falha seja descoberta”, explica Daussin.

A escassez de mão de obra qualificada na indústria da construção provavelmente aumentará a tendência para a fabricação e automação. Ao mesmo tempo, a digitalização da construção cria exposições cibernéticas contra as quais as empresas de engenharia e construção precisam fortalecer suas defesas. Hoje, as inúmeras partes envolvidas em um canteiro de obras estão interconectadas por meio de várias plataformas de TI compartilhadas, o que aumenta sua vulnerabilidade. Os riscos cibernéticos podem variar de tentativas maliciosas de obter acesso a dados confidenciais, a interrupção do controle do local do projeto e roubo associado, a interrupção da cadeia de abastecimento, a potencial corrupção dos dados de concepção do projeto, resultando em atrasos e, em última instância, em risco de reputação para as partes envolvidas.

Melhor proteção de canteiros de obras contra perigos naturais e danos causados pela água

A necessidade de reduzir as emissões de gases de efeito estufa não só conduzirá a uma abordagem mais sustentável para edifícios residenciais e comerciais, bem como infraestrutura, mas também pode acelerar a tendência, à medida que a indústria busca obter eficiência e minimizar o desperdício. Os canteiros de obras também precisam dar mais atenção para mitigar o impacto de eventos impulsionados pelo clima, como incêndios florestais, enchentes e deslizamentos de terra. A análise de sinistros da AGCS mostra que os riscos naturais já são a segunda causa mais cara de perdas na construção, atrás de incêndio e explosão, respondendo por 20% do valor dos sinistros nos últimos cinco anos.

Enquanto isso, os danos causados pela água continuam a ser uma grande fonte de perdas durante a construção. A AGCS tem visto uma série de danos surpreendentemente grandes resultantes de vazamentos em sistemas de água pressurizada ou de incêndio que não são detectados ou ocorrem fora do horário comercial, nos fins de semana ou durante os períodos em que não há ninguém presente. Os sistemas de detecção e monitoramento de vazamento de água podem ajudar a reduzir a frequência e a gravidade dos danos causados pela água, mitigando reparos caros e atrasos de projeto.

Tempos emocionantes e desafiadores

“Nossos clientes, com uma presença importante na Espanha e na América Latina, têm raízes e experiências sólidas em ambos os continentes. Isto, aliado ao conhecimento de que contribuímos para os seus novos desafios com base na experiência adquirida a nível global, significa que somos capazes de adaptar as nossas soluções de seguros para avançarmos juntos neste futuro desafiante que nos espera ”, completa Miguel Peces, Diretor Regional de Energia e Construção para Ibero / Latam na AGCS.


Compartilhe:: Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...:
 
https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

<::::::::::::::::::::>
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
<::::::::::::::::::::>
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar e sera atendido. -  Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
<::::::::::::::::::::>

Adicionar comentário

Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Ferramenta Automatizada...IMPORTANTE: COMENTÁRIOS com LINK são bloqueados automaticamente (COMMENTS with LINKS are automatically blocked.)...Sucesso!


voltar ao topo