Brasil,

TOKIO MARINE SEGURADORA

Canabidiol pode ser alternativa para casos graves de epilepsia na infância

Banco de imagens gratuitas Banco de imagens gratuitas

Eficácia da substância está cientificamente comprovada para determinadas condições e segue em estudo para novas confirmações

Atualmente, existem diversos medicamentos para tratar pessoas que têm epilepsia, mas nos últimos anos uma substância vem chamando a atenção da sociedade e da mídia: o canabidiol. O tema é rodeado de fake news e é por este motivo que a Associação Brasileira de Epilepsia tem trabalhado para a divulgação de informações corretas sobre o assunto, deixando claro que as comprovações científicas e as orientações médicas são os direcionamentos válidos.

O uso

Apesar das discussões sobre o uso do canabidiol para o tratamento da doença serem antigas, somente com estudos publicados a partir de 2017 que foi comprovada a eficácia da substância de alta pureza e com grau farmacológico para crianças com epilepsias graves, que possuem Síndrome de Dravet, Síndrome de Lennox-Gastaut e Esclerose Tuberosa. De acordo com o Neurologista e Vice-presidente da ABE, Doutor Lécio Figueira, o canabidiol é erroneamente visto por muitas pessoas, como uma substância milagrosa, o que é um problema, já que existem indicações específicas para o uso.

“Faz parte do método científico duvidar, até que as evidências se apresentem, e é importante diferenciar tratamentos promissores, do que já está comprovado cientificamente. A eficácia do canabidiol para o tratamento de epilepsia em adultos necessita de mais estudos, assim como quando abordamos sobre outras condições neurológicas como Doença de Parkinson e Alzheimer. Além disso, é importante esclarecer que o canabidiol pode ser indicado para crianças que são primeiramente tratadas de forma adequada com os medicamentos atualmente disponíveis e estes não resultaram em controle das crises, e que outras opções também não funcionaram, como dieta cetogênica, cirurgia para epilepsia ou Terapia VNS”, explica.

Ainda segundo o Vice-presidente da ABE, quando o canabidiol é utilizado, é de uma forma associada, ou seja, junto com outros tratamentos. Também não é possível desconsiderar o fato de que a substância pode ter efeitos colaterais como diarreia e até mesmo hepatite medicamentosa. “Todas estas informações reforçam como o uso deve ser feito sob orientação e acompanhamento médico. A indicação do uso também sempre deve ser explicada ao paciente para entendimento das limitações e riscos”, afirma.

Questão regulatória

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), editou no final de 2019 uma resolução que regula o registro das formulações à base de canabidiol no Brasil e, assim, foram estabelecidos critérios que devem ser cumpridos pelas empresas que queiram obter o registro para a venda em farmácias. Para o Mestre e Doutor em Neurologia e Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Health Meds, Flávio Rezende, os critérios impostos pela Anvisa são essenciais para garantir que os medicamentos são de fato, seguros e eficazes.

“As normas da Anvisa são muito favoráveis, pois estabelecem como critério básico, a necessidade de qualidade das formulações. Em um primeiro momento, as companhias devem comprovar que o que foi produzido foi feito em laboratório com certificação de boas práticas e é preciso que mostrem, por meio de testes, que os produtos têm pureza e concentração definida. Assim, as empresas que cumprem todos os requisitos recebem uma autorização sanitária temporária para a venda em farmácias. É fundamental que as pessoas tenham acesso a formulações de qualidade e consistentes”, diz Flávio.

A Anvisa também estabeleceu uma resolução que normatiza a importação de formulações por pessoas físicas. Desta forma, laboratórios brasileiros e importadoras podem oferecer produtos diretamente aos pacientes a partir de prescrição médica. Neste caso, a agência emite um certificado de importação. “Os produtos sempre devem seguir os preceitos da ciência, o que significa segurança, qualidade e eficácia. A Anvisa tem uma ótima ação em relação ao estabelecimento de normas de registro e comercialização”, informa Doutor Flávio.

Informação e estudo

Apesar do uso do canabidiol para o tratamento de epilepsia ser frequentemente discutido pela mídia, diversas pessoas ainda confundem a substância com a cannabis, o que traz a ideia errada de que a planta é a solução para as crises. “A Associação Brasileira de Epilepsia tem atuado para divulgar informações sobre o tema, inclusive porque as pessoas precisam entender que o tratamento é feito com canabidiol. A cannabis é uma planta e o canabidiol é uma das dezenas de substâncias que fazem parte de sua composição”, declara a Presidente da ABE, Maria Alice Susemihl.

Diversas pesquisas estão em andamento, inclusive sobre os outros componentes da cannabis, o que é fundamental para o avanço das evidências científicas. Mesmo após a aprovação de produtos, é preciso deixar claro que os estudos continuam para a avaliação dos efeitos e riscos dos medicamentos a longo prazo. “Aguardar por produtos seguros é importante porque estamos falando de vidas e, por isso, o trabalho da ABE de esclarecer é tão importante”, afirma Maria Alice.

Neste mês de abril, a Associação Brasileira de Epilepsia promove dois eventos on-line com o foco na discussão sobre o uso do canabidiol para o tratamento da doença. A live “As indicações do canabidiol nas epilepsias da infância” com a Doutora Laura Guilhoto, Doutor Flávio Rezende e MSc. Amanda Mosini, aconteceu dia 27, às 19h, pelo Facebook, e para quem não assistiu ou deseja rever, a conversa está disponível na rede social. O episódio do mês, “Em que casos o canabidiol é indicado?”, do ABEcast, podcast da ABE, será divulgado na rede social no dia 29, às 19h.

Serviço
Live
Tema: “As indicações do canabidiol nas epilepsias da infância”
Dia: 27 de abril de 2021
Horário: 19h
Local: facebook.com/AssociacaoBrasileiradeEpilepsia

ABEcast
Episódio: “Em que casos o canabidiol é indicado?
Dia: 29 de abril de 2021
Horário: 19h
Local: facebook.com/AssociacaoBrasileiradeEpilepsia

Sobre Associação Brasileira de Epilepsia

A ABE é uma Associação sem fins lucrativos que se estabeleceu como organização para divulgar conhecimentos acerca dos tipos de epilepsia, disposta a promover a melhora da qualidade de vida das pessoas que convivem com a doença. Integra o International Bureau for Epilepsy e é composta por pessoas que têm epilepsia, familiares, neurologistas, nutricionistas, advogados, assistentes sociais, pesquisadores e outros profissionais. Atua formando grupos de autoajuda, facilitando a reabilitação profissional, lutando pelo fornecimento regular de medicamentos nos postos de saúde e hospitais públicos, além de batalhar, incansavelmente, pelo bem-estar das pessoas que convivem com a doença e pelo fim dos estigmas e preconceitos sociais.


Compartilhe:: Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...:
 
https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

<::::::::::::::::::::>
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
<::::::::::::::::::::>
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar e sera atendido. -  Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
<::::::::::::::::::::>

Adicionar comentário

Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Ferramenta Automatizada...IMPORTANTE: COMENTÁRIOS com LINK são bloqueados automaticamente (COMMENTS with LINKS are automatically blocked.)...Sucesso!


voltar ao topo