Brasil,

Falhas no reconhecimento de suspeitos mobilizam Justiça

Entidade trabalha na elaboração de diretrizes para nortear o reconhecimento; especialista defende mudanças

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) criou um grupo de trabalho para regulamentar as diretrizes e procedimentos para o reconhecimento pessoal em processos criminais. A medida foi anunciada após a divulgação de pesquisas e de inúmeros casos de condenações de inocentes por meio de reconhecimentos pessoais falhos. “O artigo 226 do Código de Processo Penal (CPP) estabelece a forma como esse reconhecimento deve ser conduzido, mas, em muitos casos, dá margem para que injustiças ocorram”, afirma o advogado criminalista Rafael Maluf.

Um estudo da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro (DPRJ) feito em 10 estados revelou que 60% dos casos de reconhecimento fotográfico equivocado resultaram na decretação da prisão preventiva, que duraram em média 9 meses. Ainda segundo o estudo, em 83% dos casos de reconhecimento equivocado, as pessoas apontadas eram negras.

Em comunicado no site do CNJ, o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Rogerio Schietti Machado Cruz, que coordenará o grupo de estudos, avalia que os procedimentos descritos no CPP não são seguidos com rigor.

Segundo o CPP, a testemunha deve, antes de tudo, fornecer as características da pessoa que será reconhecida. “Só depois a vítima ou testemunha deve ser conduzida ao local de reconhecimento para apontar o suposto autor do crime. Além disso, as pessoas submetidas ao reconhecimento devem ter características semelhantes”, completa Rafael Maluf.

Ainda segundo o artigo 226 do CPP, o reconhecimento deve ser feito sem que o suspeito veja a testemunha se houver indicativos de que ela possa se sentir constrangida ou ameaçada.

Diante dos inúmeros casos de injustiças relatados na imprensa, criminalistas e entidades que atuam na defesa de réus para reverter condenações injustas, como a ONG Innocence Project Brasil, defendem mudanças na forma como esses reconhecimentos são feitos hoje.

Prova única

Na avaliação do criminalista Rafael Maluf, além do descumprimento da metodologia dos reconhecimentos, outro problema recorrente é a aplicação de condenações baseadas exclusivamente em reconhecimento do autor. “Não é possível que uma prova isolada dessa natureza seja suficiente para condenar o réu. Quando se tem apenas o reconhecimento, e quando observamos que não há cumprimento do CPP quanto à metodologia do processo, o que temos é uma probabilidade muito grande de que o judiciário cometa injustiças, condenando um inocente e, consequentemente, gerando impunidade ao real autor do delito”, completa.

Em maio, o STJ decidiu que o reconhecimento fotográfico ou presencial feito sem a observância do artigo 226 não é evidência segura da autoria de um crime. Na ocasião, o ministro Reynaldo Soares da Fonseca, afirmou que o reconhecimento fotográfico é uma prova inicial a ser ratificada pelo reconhecimento presencial e, ainda assim, não pode servir como única prova da autoria de um crime.

Reformulação CPP

Além desse grupo de estudos do CNJ, mudanças no reconhecimento também são discutidas na Câmara dos Deputados, que debate uma série de alterações no CPP.

Entre as propostas estudadas está a de fazer perguntas para a testemunha ou vítima sobre a distância do suspeito e tempo que visualizou o rosto. Além disso, foi discutida a possibilidade de informar a testemunha que nenhum dos suspeitos apresentados pode ser, de fato, o criminoso.

O advogado criminalista Rafael Maluf


Compartilhe:: Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...:
 
https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

<::::::::::::::::::::>
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
<::::::::::::::::::::>
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar e sera atendido. -  Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
<::::::::::::::::::::>

Adicionar comentário

Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Ferramenta Automatizada...IMPORTANTE: COMENTÁRIOS com LINK são bloqueados automaticamente (COMMENTS with LINKS are automatically blocked.)...Sucesso!


voltar ao topo