Brasil, 20 de Julho de 2019

TOKIO MARINE SEGURADORA

Gerenciamento de risco é essencial para expansão da indústria de portos e terminais, afirma especialista da Marsh

pixabay.com_CC0 Creative Commons pixabay.com_CC0 Creative Commons

Novos leilões vão fomentar o desenvolvimento da indústria, mas serão cada vez mais necessários investimentos em gerenciamento de risco estratégico

Grande parte dos acidentes que aconteceram na indústria brasileira de portos e terminais foi decorrente da falta de uma matriz de risco estruturada e programas de seguros adequados ao perfil de cada empresa do setor. Em 2018, segundo levantamento da consultoria de risco e corretora de seguros e resseguros Marsh, os prejuízos com acidentes em portos e terminais foram da ordem de R$ 30,3 milhões. Os altos valores chamam atenção para a necessidade de um gerenciamento de risco mais estratégico, segundo Sérgio Caron, líder de prática de transportes, cascos marítimos, portos e terminais, aeronáutico da Marsh Brasil. Para o especialista, a partir de agora, o gerenciamento de risco será uma ferramenta cada vez mais estratégica para empresas e investidores em portos e terminais.

"A indústria de portos e terminais está enfrentando um momento de perspectiva de um grande volume de investimentos. A Secretaria Nacional de Portos do Ministério da Infraestrutura prevê realizar o arrendamento de dez áreas portuárias apenas no primeiro semestre deste ano, que atrairá mais investimentos por meio do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Mas, é necessário que os investimentos dos participantes dos leilões sejam protegidos por um amplo e estratégico gerenciamento de risco e programa de seguros", afirma.

A necessidade do gerenciamento de risco e das coberturas de seguros é necessária porque cada empresa tem suas particularidades de riscos e perfis diferentes de ameaças imprevisíveis aos negócios. A operação portuária está inserida em uma cadeia que envolve um grande número empresas como as de terminais portuários, operadores portuários, armadores, retroporto, porto seco, além de armazéns, transportadores e operadores logísticos.

Riscos ambientais, tecnológicos e geopolíticos

Segundo Caron, as regulamentações ambientais são exemplos de variáveis de mudanças que impactam profundamente os negócios das empresas. Essas mudanças estão forçando os portos a se tornarem ecológicos por meio de alternativas de combustível, água de lastro e construção de portos. "Os novos desenvolvimentos tecnológicos, as mudanças geopolíticas, juntamente com o tamanho crescente dos navios e os riscos ambientais, têm ao mesmo tempo o potencial de gerar maiores ganhos, mas também causar grandes prejuízos", alerta.

A indústria brasileira de portos e terminais também já experimenta problemas emergentes como terrorismo, inexistência de fronteiras em blocos econômicos e segurança cibernética. A tecnologia em evolução, incluindo soluções via blockchain e a capacidade de veículos autônomos, também está mudando a base da indústria e deve ser gerenciada. "Lembramos também que navios cada vez maiores precisam redesenhar a infraestrutura e os bancos de terra e mudanças nos padrões globais de comércio devem ser atendidas com estratégias e investimentos inteligentes", explica o especialista.

Na análise da corretora de seguros Marsh, também foram mapeados os 11 riscos que podem gerar prejuízos e até mesmo paralisar as operações das empresas de portos e terminais. Entre os riscos estão:

1. Carga e Descarga, incêndio, explosão, vendaval;
2. Armazenagem de mercadorias;
3. Contaminação de mercadoria, pragas (ratos e pombos), poeira proveniente dos grãos, operação do shiploader;
4. Contaminação do solo, canal da galheta tem passado por problemas de assoreamento;
5. Vias de acesso, rodoviárias e ferroviárias, aos terminais portuários;
6. Cláusulas contratuais;
7. Segurança da navegação e movimentação;
8. Prover e qualificar recursos humanos capacitados;
9. Proteção de dados e controles digitais;
10. Falta de demanda, seja por razões econômicas ou mercadológicas;
11. Condições meteorológicas adversas;

De acordo com Sérgio Caron, a estratégia mais eficiente de mitigação dos riscos físicos é a transferência dos mesmos, ou seja, implantar programas de seguros para se proteger das ameaças imprevisíveis.

Os seguros podem ser contratados para proteção contra riscos de danos sofridos pelo patrimônio, danos causados à carga de terceiros, ambientais e perdas materiais.

Também trazem coberturas para perdas de receita e lucros cessantes, contra riscos de variações de demanda decorrente de quebra de safra, danos sofridos e causados em decorrência de ataques de hackers e impactos de condições climáticas adversas.

Sobre a Marsh

A Marsh, líder global em corretagem de seguros e soluções inovadoras de gerenciamento de riscos, conta com 30 mil colaboradores que aconselham clientes individuais e comerciais de todos os tamanhos em mais de 130 países. Pertence ao grupo Marsh & McLennan Companies (NYSE: MMC), uma companhia global de serviços profissionais nas áreas de risco, estratégia e pessoas. Com receita anual de mais de US $ 14 bilhões e cerca de 65 mil colegas em todo o mundo, a MMC ajuda os clientes a navegar em um ambiente cada vez mais dinâmico e complexo através de quatro empresas líderes do mercado. Além de Marsh, também são parte da MMC a Guy Carpenter, a Mercer e a Oliver Wyman. Siga a Marsh no Twitter @MarshGlobal; LinkedIn; Facebook; e YouTube, ou assine o BRINK.

Compartilhar::

Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...: https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

Separador
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
Separador
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar que voce sera atendido. - Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta totalmente automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
Separador

Adicionar comentário
Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Esta ferramenta é automatizada...Sucesso!


voltar ao topo

Notícias ::

RECEBA O RESUMO DE NOTÍCIAS DE SEGUROS DO SEGS, É GRÁTIS..::

NewsLetter Segs: Mais de 140 mil já recebem...Profissional atualizado anda na frente da concorrência !