Brasil,

TOKIO MARINE SEGURADORA

Falta de matéria-prima atrapalha retomada da indústria brasileira

Por causa da crise, retomada do mercado pegou os fornecedores despreparados e quase 70% das indústrias tem dificuldade em comprar insumos; agronegócio também foi impactado

Após o auge do impacto econômico causado pela crise do coronavírus, a indústria já dá sinais de retomada. Isso poderia até ser uma boa notícia se não fosse por um detalhe: falta matéria-prima no mercado. Segundo dados de uma pesquisa realizada, em outubro, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), 68% das empresas consultadas revelam dificuldades para comprar insumos ou matérias-primas no mercado doméstico e 56% no internacional.

Essa dificuldade é relatada em 10 dos 27 setores industriais consultados. O setor de móveis foi o mais afetado, 70% das empresas estão com dificuldade para atender a demanda. Em seguida vem o setor têxtil (65%) e o de produtos de material plástico (62%). Se não bastasse a incerteza e preocupação devido a pandemia, esse cenário atrapalha e implica diretamente na recuperação das atividades e na estabilidade da indústria.

De acordo com a sondagem, 44% das empresas estão deixando ou demorando para atender os clientes por causa do estoque reduzido. Além disso, há falta de trabalhadores e de recursos. Para 23% das indústrias falta mão de obra, e 22% dizem que não têm recursos ou capital de giro para aumentar a produção.

Segundo a CNI, em setembro, as fábricas já vendiam mais do que antes da crise causada pelo COVID-19, mas os fornecedores não voltaram no mesmo ritmo. Isso porque, no início da pandemia a demanda caiu, o que levou as empresas optaram por reduzir seus estoques para enfrentar, além da queda no faturamento, o difícil acesso ao capital de giro. O que não se esperava era a reação rápida do mercado, que pegou os fornecedores despreparados e provocou um desequilíbrio entre oferta e procura por insumos e matéria-prima.

O estudo também indicou que, além da falta desses itens, mais de 80% das empresas perceberam aumento nos preços, sendo que 30% delas evidenciaram um aumento acentuado. De acordo com a CNI, tanto produtores quanto fornecedores estavam com os estoques baixos, o que gerou escassez e, após a retomada econômica, maior demanda. Somado a isso, ainda houve a alta do dólar e forte desvalorização do real, que contribuiu para o aumento do preço dos insumos importados.

Agronegócio

Apesar de o agronegócio ser um dos poucos setores que se desenvolveram em ritmo acelerado em 2020, com perspectiva de crescimento, há também dificuldade na busca por insumos. Um exemplo disso é a Casale, líder em tecnologia pecuária. A empresa é fabricante de equipamentos com tecnologia avançada para alimentação bovina, em especial misturadores de ração.

De acordo com Mario Casale, CEO da empresa, “há dificuldades em obter alguns materiais necessários para a fabricação dos nossos equipamentos, principalmente produtos cuja matéria prima é o aço. Outra consequência disso é que perdeu-se a referência de preço, quem tem produto cobra muito caro”, afirma.

No caso do aço, por exemplo, segundo a Abimaq - Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, só empresas de grandes porte têm condições de comprar esse item diretamente nas usinas, ou seja, mais de 90% compram o material nas distribuidoras e, por isso, nesse momento, há uma demora para atender a demanda e aumento no valor do produto.

O aço é fundamental e utilizado em diversos setores da indústria, como na construção civil, na produção de veículos, equipamentos e máquinas agrícolas. “Esse insumo é a principal matéria-prima utilizada na Casale e nas indústrias de máquinas em geral. Essa escassez está limitando muito a capacidade de retomada e do aumento na produção. Até o momento, para não deixar nossos clientes na mão, reduzimos nossas margens e conseguimos trazer as matérias primas pagando mais caro, mas alguns fornecedores informam que não terão produtos para entregar, o que é muito preocupante”, enfatiza Jaqueline Casale, Diretora de Compras da Casale.

De acordo com o Instituto Aço Brasil, a retomada econômica está ocorrendo de forma mais rápida que o previsto, mas a estabilidade só deve ocorrer mesmo em 2021. O fato é que, em um contexto geral, até os estoques serem repostos e o mercado normalizado, o Brasil terá que lidar com a falta de alguns produtos e os altos preços.

Sobre a Casale

A Casale é referência em tecnologia pecuária bovina na América Latina. A companhia abastece todo o mercado nacional com misturadores que possuem tecnologia avançada, de vários modelos e tamanhos, além de exportar para os países como Uruguai, Panamá, Nicarágua, México, Chile, Venezuela, Paraguai, Bolívia, Cuba e África do Sul. Atualmente, a Casale lidera o mercado nacional de misturadores e a meta é se tornar uma multinacional, liderando globalmente este mercado.

Fundada em 1964, a empresa é liderada desde 1981 por Celso Casale e está passando por um estruturado e bem sucedido processo de sucessão familiar aos filhos Mario e Jaqueline Casale, que ocupam função executiva na empresa, e Erika, que está no Conselho Consultivo. Está localizada estrategicamente às margens da Rodovia Washington Luís, em São Carlos, interior de São Paulo. A Casale conta com mais de 200 colaboradores e possui equipe de vendas e pós-venda distribuída nos principais estados do Brasil.


Compartilhe:: Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...:
 
https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

<::::::::::::::::::::>
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
<::::::::::::::::::::>
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar e sera atendido. -  Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
<::::::::::::::::::::>

Adicionar comentário

Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Ferramenta Automatizada...IMPORTANTE: COMENTÁRIOS com LINK são bloqueados automaticamente (COMMENTS with LINKS are automatically blocked.)...Sucesso!


voltar ao topo