Brasil,

TOKIO MARINE SEGURADORA

Gestão ambiental produtiva une público diversificado no Dia do Cerrado

"Quem produz também cuida" discute como atividade agropecuária e conservação podem andar juntos no Cerrado

O evento em comemoração ao Dia do Cerrado reuniu produtores rurais, estudantes, professores, pesquisadores, parceiros, extensionistas rurais de todas os biomas em defesa da interação entre produção agropecuária e preservação do Cerrado. Com o tema Quem produz também cuida, pesquisadores da Embrapa Cerrados e instituições parceiras discutiram como aliar a atividade agropecuária e o cuidado com o meio ambiente, que não precisam estar dissociados.

O pesquisador Felipe Ribeiro apresentou o conceito de gestão ambiental produtiva, por meio da qual é feita a integração de pesquisa e transferência de tecnologia para o gerenciamento da propriedade rural. Tudo começa com o diagnóstico da área, para identificar se existem nascentes, área de preservação permanente e reserva legal e o histórico e funcionamento dos sistemas agrícolas. “Com o diagnóstico, é possível saber onde erramos e assim podemos melhorar essa paisagem. O pensamento da sustentabilidade tem que estar também na agricultura, para que o processo de recuperação ambiental possa ser feito como um todo na propriedade rural”, reflete. Com a melhor estruturação do funcionamento da propriedade rural, o produtor também terá mais sucesso econômico.

Ferramentas para isso já existem. A Embrapa e instituições parceiras oferecem sistemas de Tecnologia da Informação para cada uma das etapas da gestão ambiental produtiva – diagnóstico, planejamento, implantação e monitoramento.

Para as áreas agrícolas há o Pasto Certo, o WebAgritec, o SatVeg, entre outros. Na área ambiental, o WebAmbiente oferece uma série de informações sobre espécies nativas que podem ser usadas no processo de adequação ambiental da paisagem rural. Em homenagem ao Dia do Cerrado, a plataforma ganhou mais um recurso – um livro digital com cerca de 200 perguntas e respostas que contemplam as principais dúvidas dos produtores sobre o código florestal e a recomposição do Cerrado para atender a nova legislação. Ribeiro dá um exemplo: se a dúvida é sobre como elaborar um roteiro de recuperação de área degradada, a resposta traz informações sobre todas as etapas para elaboração do projeto, um exemplo de roteiro, além de documentos, imagens e vídeos, tudo em formato digital.

Outras novidades para a sustentabilidade do Cerrado

Outro lançamento foi o folder Estratégias para recuperação e renovação e pastagens degradadas no Cerrado. Esse é o mais novo instrumento para auxiliar o pecuarista na gestão da sua propriedade. Uma escala de 1 a 6 define o estágio de degradação da pastagem. Apresentado em formato prático para ser levado ao campo, traz informações para facilitar a identificação da situação da área, com auxílio de imagens e gráficos.

“A degradação de pastagens é um dos problemas mais sérios da pecuária brasileira, que causa danos ambientais e também para toda a sociedade. O folder ajuda o produtor a entender a situação em que ele está e a fazer o diagnóstico de sua propriedade”, detalha o pesquisador da Embrapa Cerrados, Luiz Adriano Cordeiro, um dos autores do folder, que também teve colaboração da Embrapa Gado de Corte.

A publicação surgiu a partir de dúvidas muito comuns entre os pecuaristas: O que e como fazer para reverter a degradação das pastagens? Quanto custam essas alternativas? Quais serão os resultados?

As respostas estão todas ali, incluindo qual é a melhor opção para recuperação, de acordo com a situação da propriedade. Estão detalhados os resultados esperados e o tempo desse retorno; o ganho em peso animal e em produtividade (de carne e de leite); taxa de lotação; o custo operacional das melhorias, em dólar por hectare.

O folder está disponível para download gratuito na página da Embrapa.

Outro destaque foi a Estante Virtual da Coleção Cerrado, plataforma para download gratuito de livros clássicos sobre o bioma, desenvolvidos ao longo da história da Embrapa Cerrados. São onze títulos que abordam temas como caracterização e recuperação de matas de galeria, aproveitamento alimentar e correção do solo e adubação.

Projetos em prol de uma agricultura sustentável

O evento mostrou ainda que o Cerrado é reconhecido, em níveis nacional e internacional, por sua importante colaboração na produção de alimentos. A Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ) tem apoiado o Brasil em várias políticas públicas que beneficiam a região. Seu representante, Taiguara Alencar, alerta: “Para um futuro sustentável, é preciso agregar tanto a produção, o bioma Cerrado é fundamental para o agro, como a conservação, a proteção. Tem que haver um equilíbrio. Acreditamos que trabalhando com essas duas frentes, é possível esse equilíbrio”.

Já o secretario de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Fernando Camargo, ressalta a importância do FIP Paisagens Rurais, um projeto de gestão integrada da paisagem que atende sete estados do bioma Cerrado. A meta é recuperar 100 mil hectares de pastagens degradadas. Para Camargo o sucesso desse grande projeto se reflete também na agricultura de baixo carbono, linha que o Brasil tem apostado para melhorar a sustentabilidade da atividade.

Coordenado pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB), com parceria da Embrapa e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), quase 2 mil propriedades rurais receberam assistência técnica e gerencial no âmbito do projeto, desde 2018, por mais de 120 técnicos de campo.

A sustentabilidade das propriedades rurais é tratada de forma individualizada, pelo conhecimento da área e da realidade do produtor para fazer a gestão da propriedade. “Nós entendemos que levar essa inovação ao campo passa pela transferência de tecnologia, até ela chegar à mão do produtor. Quando analisamos o fator de produção, com certeza, comparando dados dos censos agropecuários de 2006 a 2017, vimos que a tecnologia, sem dúvida, foi o fator de produção que contribui para todo esse avanço”, pontua Rafael Diego, técnico da coordenação do FIP Paisagens Rurais na Diretoria de Assistência Técnica e Gerencial pelo Senar.

Pastagens degradadas – nova fronteira agrícola do Brasil

O tema Pecuária também foi discutido por Giovana Maciel. A pesquisadora da Embrapa Cerrados enfatiza que o pecuarista tem que ser um agricultor, tem que encarar sua lavoura, de pastagem no caso, de forma mais profissional para conseguir um melhor retorno. Sobre a degradação ela é categórica: “Se a pastagem for enxergada como uma cultura, essa situação pode ser revertida”.

Com base em dados referentes à área de pastagem degradada e as taxas de lotação atuais, Maciel informa que, dos 600 mil km2 de pastagens existentes no Brasil, se em apenas 10% forem implantados sistemas silvipastoris para aumentar o potencial de intensificação da atividade pecuária, serão 5,5 milhões de hectares com potencial para aumento da produtividade: “A nova fronteira agrícola do Brasil são as pastagens degradadas, que podem ser melhoradas e liberadas para consórcio com plantios agrícolas”. A pesquisadora completa: “Intensificar o uso de terras em áreas agrícolas, aumentar a eficiência dos sistemas de produção, sem prejudicar o equilíbrio ambiental, é fundamental”.

Cerrado visto do alto

Outra linha de trabalho essencial para o desenvolvimento sustentável do Cerrado é baseada em imagens aéreas. Pelas peculiaridades do bioma, que é composto por três formações vegetais, com grandes variações climáticas e uma variada dinâmica do uso da terra, essa atividade no Cerrado é bastante difícil. Ainda assim a equipe da Embrapa Cerrados conseguiu resultados impactantes ainda na década de 1990, segundo o pesquisador Edson Sano. Com base nas informações coletadas, foi lançado o livro Sistemas de Informações Geográficas na Agricultura, o primeiro sobre geoprocessamento escrito no Brasil.

Outra conquista foi o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc). Lançado em 1996, o sistema é usado até hoje como política pública para liberação de crédito agrícola e seguro rural pelo Mapa. “O Zarc foi produzido na Embrapa Cerrados usando a tecnologia inicial do geoprocessamento. O diferencial na época é que conseguimos espacializar os dados de precipitação, que até então eram apenas dados pontuais derivados das estações pluviométricas do Inmet [Instituto Nacional de Meteorologia]”, relata Sano.

Já em 2005, usando cenas geradas pelo satélite Landsat, foi possível responder uma pergunta aparentemente simples: Quanto de cada bioma estava sendo utilizado com atividade agropecuária? Para a resposta, não tão simples, foram usadas quase 120 cenas para gerar uma única imagem. E foi assim que se soube, pela primeira vez, quanto do Cerrado estava sendo usado para agropecuária (39%) e quanto estava em seu estado natural (61%). O estudo foi publicado em 2009 na revista Pesquisa Agropecuária Brasileira (PAB), editada pela Embrapa, e ainda hoje é o terceiro artigo mais citado da revista.

No evento, o pesquisador destacou uma tecnologia que, segundo ele, está vindo pra ficar: o levantamento via drone. “Nós conseguimos monitorar o nível de produtividade, se é a produção é homogênea, se tem variações. Em área de formação florestal, conseguimos fazer a quantificação da biomassa, medir a densidade de uma espécie. A qualidade de imagem que o drone consegue permite desenvolver pesquisas em uma escala de 1:1”.

Minas Gerais, Tocantins, São Paulo, Rio Grande do Sul, Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Distrito Federal e Uruguai –mais de cem pessoas acompanharam a transmissão ao vivo do evento. “Super importantes esses conhecimentos. Precisamos fazer isso chegar ao produtor e que ele tenha um acompanhamento no dia a dia”, sugere no chat a ONG Em Defesa da Vida.

A gravação do evento está disponível na íntegra no canal da Embrapa no YouTube.


Compartilhe:: Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...:
 
https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

<::::::::::::::::::::>
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
<::::::::::::::::::::>
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar e sera atendido. -  Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
<::::::::::::::::::::>

Adicionar comentário

Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Ferramenta Automatizada...IMPORTANTE: COMENTÁRIOS com LINK são bloqueados automaticamente (COMMENTS with LINKS are automatically blocked.)...Sucesso!


voltar ao topo