Brasil,

A essencialidade dos caixas eletrônicos na pandemia

Dinheiro ainda é o "rei" dos meios de pagamento e os ATMs foram fundamentais para manter a economia americana funcionando durante a pandemia

Diferentemente do que ocorre no Brasil, em que os caixas eletrônicos são operados basicamente pelos bancos e uma única operadora privada, nos Estados Unidos o mercado de ATMs é bastante competitivo e tem até empresas como a Brinks, transportadora de valores, entre os principais players.

Com a chegada da pandemia aos Estados Unidos, nos primeiros 60 dias alguns estados decretaram lockdown total, com abertura permitida apenas para negócios essenciais, como postos de gasolina, supermercados e farmácias. Como o dinheiro ainda é o principal meio de pagamento, embora os meios eletrônicos tenham crescido substancialmente nos últimos anos, os ATMs também passaram a ser considerados negócio essencial durante a pandemia.

Francisco Moura Junior, Chief Marketing Officer, Chief Commercial Officer e um dos fundadores da ATM Club, empresa especializada no gerenciamento de caixas eletrônicos nos Estados Unidos, informa que os ATMs mantidos em locais que ficaram fechados foram recolhidos e posteriormente realocados para outros estabelecimentos considerados essenciais. “Embora, durante o lockdown, as máquinas dos nossos investidores que estavam em locais com funcionamento restrito tivessem deixado de faturar, por outro lado eles não tiveram de arcar com outras despesas, já que a nossa rede não tem custo fixo mensal para quem investe”, frisa.

O executivo informa que somente em 2020 circularam mais de US$ 3 trilhões nos Estados Unidos em volume de transações. “O americano costuma usar uma frase para justificar o uso do dinheiro em espécie: ‘cash is the king’, porque saques de valores até US$ 100 são feitos principalmente nos caixas eletrônicos”, ressalta Francisco.

Ele aponta como fator preponderante para essa movimentação de dinheiro em espécie a ajuda financeira que o governo americano concedeu aos cidadãos durante a pandemia, fazendo com que os saques em ATM se tornassem a quarta opção mais utilizada para movimentar dinheiro. “Durante o ano de 2020 houve um impacto no mercado de caixas eletrônicos, mas foi pequeno em relação ao que imaginávamos frente outros negócios. Apenas 15% de nossas máquinas ficaram paradas”, relata Francisco.

Segundo o CMO da ATM Club, com a quebra de uma série de negócios por causa da pandemia e o alto endividamento da população, muitas pessoas acumularam dívidas no cartão de crédito, muitas contas bancárias foram fechadas e cresceu o uso dos chamados gift cards ou cartões de presente, cartões pré-pagos das bandeiras Visa e Mastercard que podem ser creditados com um valor que a pessoa pode usar. “Esse mercado de pré-pago acabou fomentando o volume de transações porque para ter acesso ao dinheiro, o portador precisa ir ao ATM para sacar. Isso aumentou o volume de transações principalmente dos cidadãos não bancarizados”, atesta Francisco.

O executivo ressalta que os Estados Unidos é um país essencialmente de classe média, com uma grande quantidade de imigrantes não regularizados, o que faz com que muitos deles não tenham sequer conta em banco e tenham que pagar suas despesas basicamente com dinheiro vivo.

Ele ainda aponta um hábito das pessoas que vão muito às casas de jogos de azar, “como aquelas maquininhas caça-níquel e para jogar é preciso dinheiro e geralmente dentro do local há um ATM onde a pessoa pode sacar para poder apostar”.

Segundo Francisco, no começo da pandemia havia um receio de que o vírus se transmitia nas superfícies, fazendo com que a ATM Club instalasse em suas nossas máquinas — com anuência dos investidores — uma proteção no teclado para evitar o contágio por meio do contato. Pouco tempo depois, o Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos emitiu um artigo informando que o vírus não se transmitia pela superfície, mas somente de pessoa para pessoa, fazendo com que o mercado em geral e especialmente o de ATM ficasse menos incomodado.

Como funciona a ATM Club

Presente em cidades como Orlando, Miami, Nova Iorque, Nova Jersey e São Francisco, a ATM Club tem uma rede hoje de aproximadamente 700 pontos de atendimento e o investidor pode formar uma rede própria de acordo com o aporte inicial. Francisco Moura Junior recomenda um investimento inicial de US$ 100 mil, o que equivale a dez caixas eletrônicos. “O valor do investimento mínimo é de US$ 10 mil, sendo US$ 7,5 mil do ATM, licenças, frete, sistemas, marketing e locação por cinco anos e US$ 2,5 mil de capital de trabalho que é o dinheiro que circula, ou seja, está na máquina ou na conta e é aportado uma única vez”, explica o empresário.

Segundo Francisco, o investimento numa rede de dez ATMs atinge um retorno líquido de 8% no primeiro ano. “No segundo ano, a estimativa é de retorno de 10% e a partir do terceiro ano, o ROI é de 1% ao mês”, pontua.

Ele ainda ressalta que o negócio passa segurança ao investidor porque não existem aportes mensais para cobrir eventuais riscos ou prejuízos que venham a ocorrer, pois o giro é feito por meio das transações feitas nos caixas.

Nos Estados Unidos, quando uma pessoa retira dinheiro em um caixa eletrônico, paga uma taxa média de US$ 2,99 por saque. 30% dessa taxa é transferida para o local onde o caixa eletrônico está instalado, US$ 0,60 são relativos ao capital de giro para distribuição eletrônica de dinheiro são utilizados para serviços de manutenção e administração e o valor restante é para o próprio investidor. Dessa forma, o proprietário do caixa eletrônico receberá diariamente US$ 1,39 por transação.


Compartilhe:: Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...:
 
https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

<::::::::::::::::::::>
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
<::::::::::::::::::::>
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar e sera atendido. -  Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
<::::::::::::::::::::>

Adicionar comentário

Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Ferramenta Automatizada...IMPORTANTE: COMENTÁRIOS com LINK são bloqueados automaticamente (COMMENTS with LINKS are automatically blocked.)...Sucesso!


voltar ao topo