Brasil,

Sustentabilidade guia escolha de embalagens de alimentos

Por Thaís Fagury

Até pouco tempo atrás, dois fatores guiavam as empresas de alimentos e seus departamentos de marketing para a escolha de embalagens, seja de produtos para food service ou consumidor final: a segurança, ou seja, a capacidade de conservar e proteger o produto, e o custo. A esta equação, algumas vezes se acrescentava o potencial visual, que se traduz na capacidade de a embalagem ter formato e rotulagem que a destaque na gôndola. Hoje, guiadas pela necessidade de obedecer a critérios ESG (Environmental, Social andCorporate Governance), as multinacionais e grandes companhia nacionais estão sendo desafiadas a fazer outras perguntas antes de definir como vão entregar seus produtos.

A embalagem é degradável? É reciclável e revalorizável? Já há uma cadeia de logística reversa da embalagem escolhida que permita que o material se transforme novamente em outra embalagem ou em outro produto que também possa ser reciclado? Nós, do segmento de embalagens de aço, temos percebido claramente esta mudança de tendência no marketing de produtos: as empresas estão deixando para trás embalagens de materiais complexos e migrando para as de cadeias sustentáveis.

Um exemplo recente é a Gomes da Costa que, em junho último, anunciou a substituição das tampas de suas latas de patês, que eram de plástico, por tampas de aço. Agora, tanto a lata quanto a tampa são produzidas com aço, material 100% e infinitamente reciclável. Ao anunciar a decisão, a empresa declarou sua preocupação ambiental, já que o plástico de uso únicoé um dos principais responsáveis pela poluição terrestre e marinha.

Essa tendência de troca de embalagens começa a chegar também, de forma inovadora, a produtos de higiene e limpeza. A Unilever anunciou mundialmente, em junho, a substituição das embalagens dos sabões líquidos, originalmente em pouch ou garrafas plásticas, por uma garrafa de celulose de origem sustentável. A partir de 2022, os consumidores poderão encontrar a marca Omo na nova garrafinha e o projeto piloto será executado no Brasil.

Com consumidores mais conscientes, que exigem das empresas posturas coerentes relacionadas a sustentabilidade e diversidade, as companhias começam a ser pressionadas, também, por governos de todo o mundo. Neste mês de julho, a Alemanha anunciou a proibição definitiva de comercialização de plásticos descartáveis e embalagens de isopor de uso único.

No Brasil, já há dezenas de projetos de lei para a proibição de utilização de embalagens não sustentáveis em produtos de consumo rápido. Um deles (PL 2056/2021), apresentado em junho pelo deputado Alexandra Frota (PSDB/SP), visa proibir a fabricação, comercialização e reuso de embalagens de plástico para tintas imobiliárias em todo o território nacional.Os baldes plásticos de tintas, além de representarem risco ao meio ambiente, colocam também em risco a saúde da população quando reutilizados para armazenamento de água ou alimentos.

O resultado de todo este movimento é que o fator custo não será mais preponderante na escolha das embalagens. Nas décadas de 80 e 90, o segmento de embalagens de aço acompanhou, com pesar, a migração de alguns segmentos para embalagens mais baratas. Quem não se lembra da lata de óleo de soja em aço que, além de 100% e infinitamente reciclável, protegia integralmente o produto da oxidação, sem necessidade de adição de conservantes químicos? E quem não se recorda dos potes de vidro para maionese?

Por isso, gostaria de sugerir algumas perguntas que as empresas deveriam fazer ao escolher suas embalagens. O material é reciclável? É revalorizável? É degradável? É de cadeia infinita ou regenerativa? A embalagem já tem cadeia de logística reversa consolidada?

Alguns materiais de embalagem já estabeleceram uma cadeia de logística reversa eficiente. Vejamos o exemplo do alumínio e do aço.

O segmento delatas de aço, por meio da Prolata, criada em 2012 pela Associação Brasileira de Embalagem de Aço (Abeaço), conseguiu implantar uma cadeia de reciclagem que reúne fabricantes, varejistas, consumidores, catadores e indústria siderúrgica. Hoje, são 55 cooperativas parceiras, em 31 municípios e 11 estados, mais o Distrito Federal. No ano passado, foram coletadas 22 mil toneladas de latas de aço que, encaminhadas a siderúrgicas, se transformaram em aço novamente.

Ao pensar em embalagens, além da segurança dos alimentos, devemos urgentemente pensar em cadeias, pensar no retorno das embalagens e na sustentabilidade das indústrias.

Thais Fagury é engenheira de alimentos e presidente da Associação Brasileira de Embalagem de Aço


Compartilhe:: Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...:
 
https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

<::::::::::::::::::::>
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
<::::::::::::::::::::>
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar e sera atendido. -  Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
<::::::::::::::::::::>

Adicionar comentário

Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Ferramenta Automatizada...IMPORTANTE: COMENTÁRIOS com LINK são bloqueados automaticamente (COMMENTS with LINKS are automatically blocked.)...Sucesso!


voltar ao topo