Geração Z se tornará o maior grupo de passageiros de companhias aéreas até 2028

De acordo com a London School of Economics and Political Science, essa geração traz novas expectativas para tecnologia e viagens

As companhias aéreas que instalaram com sucesso cabines de passageiros conectadas têm uma oportunidade imediata de ganhar dos concorrentes US$ 33 bilhões em participação de mercado. Essa é a conclusão de uma nova modelagem econômica da London School of Economics and Political Science (LSE) em associação com a Inmarsat, líder mundial em comunicações móveis globais por satélite.

O “Sky High Economics - Chapter Three: Capitalising on Changing Passenger Behaviour in a Connected World” (Sky High Economics - Capítulo Três: Aproveitando a Mudança do Comportamento dos Passageiros em um Mundo Conectado”) examina a mudança global em curso na demografia, comportamentos e atitudes dos passageiros com relação à fidelidade . O relatório destaca a necessidade imediata de as companhias aéreas inovarem para permanecerem relevantes em um cenário competitivo do setor, identificando uma mudança de participação de mercado em curso da ordem de US$ 33 bilhões ‘ao alcance das mãos’ hoje para aqueles que desenvolvem a experiência de voo digital que os passageiros procuram. Essa oportunidade equivale a 6% do mercado anual total de aviação comercial de passageiros.

A demografia dos passageiros está mudando

O setor aéreo passa hoje por um período de mudanças excepcionais. Na próxima década, a primeira geração verdadeiramente digitalmente nativa, a Geração Z (nascida entre 1997 e 2012) se tornará o maior grupo de passageiros aéreos, com 1,2 bilhão de pessoas viajando anualmente por avião.

Com essa mudança demográfica, a revolução digital em terra está gerando expectativas de experiência em voo e redefinindo atitudes com relação à fidelidade com as companhias aéreas. De acordo com a pesquisa da LSE, a Geração Y (o maior grupo de passageiros hoje, nascido entre 1981 e 1996) valoriza menos a fidelidade do que qualquer geração anterior - uma tendência que deverá continuar com as gerações mais jovens.

A oportunidade imediata para as companhias aéreas

O Sky High Economics identifica um mercado de quase 450 milhões de passageiros em todo o mundo que hoje não estão comprometidos com qualquer programa de milhagem e que trocariam sua fidelidade por uma companhia aérea que ofereça Wi-Fi de alta qualidade a bordo.

Essa previsão foi modelada usando dados de programas de milhagem que revelam uma divisão do mercado entre passageiros frequentes e ativos (13%) e passageiros menos engajados, não ligados a marcas (87%). Os viajantes menos engajados - muitos dos quais são passageiros mais jovens com novas expectativas de viagem - apresentam a maior oportunidade para as companhias aéreas ganharem participação de mercado.

Hoje, 12% dos passageiros menos engajados estão dispostos a trocar a fidelidade por uma companhia aérea que ofereça Wi-Fi confiável, o que representa uma mudança de participação de mercado no valor de US$ 33 bilhões que as companhias aéreas que já oferecem o serviço já podem ganhar dos concorrentes. Essa quantia deverá crescer para US$ 45 bilhões na próxima década, quando se espera que a geração Z passe a ser a maior base de clientes do setor de companhias aéreas.

Impulsionando a fidelidade em um mundo conectado

O Sky High Economics identifica vários fatores modernos que impulsionam a fidelidade com as companhias aéreas no mundo digital, abrangendo experiências engajantes a bordo - desde comércio eletrônico a conteúdo premium, personalização antes, durante e após o voo e tornando o voo um componente mais significativo da jornada mais ampla do cliente.

O Dr. Alexander Grous (B. Ec, MBA, M.Com, MA, PhD.) do Departamento de Mídia e Comunicações da LSE e autor da Sky High Economics, diz: “A próxima década apresenta tanto uma enorme oportunidade como um desafio para o setor global de aviação. A tecnologia e a infraestrutura estão prontas para atender às expectativas dos viajantes sempre ativos, e cabe às companhias aéreas aproveitar esta oportunidade agora ou correr o risco de ficar para trás de seus concorrentes - no montante de US$ 33 bilhões hoje e US$ 45 bilhões até o final da próxima década”.

O Presidente da Inmarsat Aviation Philip Balaam diz: “O amplo e crescente apetite por conectividade, juntamente com a grande mudança demográfica dos passageiros, mostrou que a demanda por serviços conectados, personalizados e de valor agregado na cabine de passageiros está se acelerando. Para se manterem relevantes em um cenário competitivo do setor, as companhias aéreas deverão se adaptar aos comportamentos e expectativas dos passageiros de hoje e de amanhã”.

Além disso, Balaam acrescenta: “O acesso a Wi-Fi de grande largura de banda com cobertura consistente é essencial para atender às demandas dos passageiros famintos por dados - mas a adoção da tecnologia é apenas o começo. Existe a oportunidade real de tornar o Wi-Fi a bordo um facilitador para experiências personalizadas dos passageiros, aumentando a sua fidelidade e acessando novos fluxos de receita”.

Sobre o Sky High Economics

O Sky High Economics é um estudo de pesquisa em três partes da London School of Economics and Political Science (LSE). É o primeiro de seu tipo a modelar de maneira abrangente o impacto socioeconômico da conectividade no setor de aviação.

O Capítulo Um, Quantifying the Commercial Opportunities of Passenger Connectivity for the Global Airline Industry (Quantificando as oportunidades comerciais da conectividade para os passageiros no setor aéreo global) quantificou o valor de mercado global do Wi-Fi a bordo. Ele previa que a banda larga em voo criaria um mercado no valor de US$ 130 bilhões até 2035, incluindo US$ 30 bilhões em receitas adicionais habilitadas digitalmente para as companhias aéreas.

O Capítulo Dois, Evaluating the Economic Benefits of Connected Airline Operations (Avaliando os benefícios econômicos das operações de companhias aéreas conectadas), destacou como serviços de conectividade aprimorados, seguros e de alta qualidade podem oferecer poderosas eficiências comerciais para as operações de companhias aéreas, no valor de US$ 15 bilhões em termos de economia anual para o setor aéreo até 2035.

O terceiro e último capítulo, Capitalising on Changing Passenger Behaviour in a Connected World (Aproveitando a mudança de comportamento dos passageiros em um mundo conectado), destaca oportunidades para as companhias aéreas se adaptarem às mudanças no comportamento e nas expectativas dos consumidores, a fim de aumentar a fidelidade do cliente na era digital. Além das receitas adicionais e das oportunidades de economia de custos já previstas, a nova modelagem econômica da LSE identificou uma participação de mercado de US$ 33 bilhões que está imediatamente ‘ao alcance das mãos’ para as companhias aéreas que adotam a conectividade ganhar dos seus concorrentes. Isso equivale a 6% do mercado total da aviação comercial de passageiros.

O relatório Sky High Economics Chapter Three completo pode ser baixado aqui: www.inmarsataviation.com/skyhigh3.

Sobre a London School of Economics and Political Science (LSE)

A London School of Economics and Political Science (LSE) é uma das principais universidades de ciências sociais do mundo. A LSE é uma universidade especializada, com uma entrada internacional e um alcance global. Suas pesquisas e seu ensino abrangem toda a extensão das ciências sociais, desde economia, política e direito até sociologia, antropologia, contabilidade e finanças. Fundada em 1895, a escola tem uma excelente reputação de excelência acadêmica. Dezesseis vencedores do Prêmio Nobel são funcionários ou ex-alunos da LSE. A escola tem um corpo docente cosmopolita, com cerca de 9.500 estudantes de 140 países em tempo integral. A LSE tem uma equipe de mais de 3.000 funcionários, cerca de 46% dos quais vindos de países fora do Reino Unido. Este relatório foi encomendado através da LSE Consulting.

Sobre a Inmarsat

A Inmarsat é líder mundial em comunicações móveis globais via satélite. É proprietária e opera o melhor portfólio global de redes de satélite do mundo, projetado especificamente para a mobilidade do cliente, e possui um portfólio de espectro global multicamadas que abrange banda L, banda Ka e banda S, permitindo amplitude e diversidade inigualáveis nas soluções que fornece. A rede de distribuição global da Inmarsat, há muito estabelecida, inclui não apenas os principais parceiros de canal do mundo, mas também seus próprios recursos diretos de varejo, permitindo a garantia ponta-a-ponta do serviço ao cliente final. A empresa tem um histórico incomparável de operar as redes de satélites móveis globais mais confiáveis do mundo, apoiando aplicações de negócios e operacionais e de segurança de missão crítica há quase 40 anos. É também uma importante força motriz por trás da inovação tecnológica em comunicações móveis via satélite, sustentando sua liderança através de substanciais investimentos e uma poderosa rede de parceiros tecnológicos e de fabricação. A Inmarsat opera em um portfólio diversificado de setores com os recursos financeiros necessários para financiar sua estratégia de negócios e ocupa posições de liderança nos mercados de satcom marítimos, governamentais e de aviação, operando consistentemente como um parceiro confiável, ágil e de alta qualidade para seus clientes em todo o mundo. Para mais informações, visite www.inmarsat.com ou siga-nos no LinkedIn e @InmarsatGlobal.


Compartilhe:: Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...: https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

Separador
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
Separador
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar que voce sera atendido. - Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta totalmente automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
Separador

Adicionar comentário

Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Ferramenta Automatizada...IMPORTANTE: Comentários com Link são bloqueados automaticamente (Comments with Links are automatically blocked.)...Sucesso!


voltar ao topo

NEWSLETTER SEGS