Brasil,

Secretaria de Agricultura reúne representantes da pesquisa, indústria e produção rural na comemoração dos 115 anos do IZ

  • Escrito ou enviado por  Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
  • Adicionar comentario
  • SEGS.com.br - Categoria: Agro
  • Imprimir

Live com representantes da pesquisa e do setor privado debateu os avanços do IZ e tendências

Instituto celebra aniversário abordando a transferência de tecnologia às cadeias produtivas da carne, leite, aves e ovos com inovação e sustentabilidade

O Instituto de Zootecnia (IZ-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, completou 115 anos de atuação ininterrupta neste 15 de julho de 2020. A instituição, fundada em 1909, é referência nacional e internacional em pesquisas científicas nas áreas de produção animal e pastagens.

Para comemorar a data, o IZ realizou nesta quarta-feira uma transmissão ao vivo com o tema "Como o IZ chega à sua mesa", que contou com a participação do secretário de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira, o diretor do Instituto, Luiz Ayroza, pesquisadores e parceiros do mercado agropecuário. A comemoração do aniversário do Instituto seguiu até esta sexta-feira, com webinários em parceria com a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa do Agronegócio (Fundepag). Os eventos podem ser assistidos em:

e http://www.youtube.com/channel/UCFEJHmywPOirC1xO0e6aaXA.

O objetivo da live desta quarta-feira foi abordar a presença do IZ no cotidiano da população por meio das três cadeias de produção trabalhadas no Instituto: carne, leite, aves e ovos. O secretário da Agricultura iniciou agradecendo o engajamento de todos, a participação dos convidados e parabenizou a Instituição pela trajetória de sucesso, e disse que se "sentiu muito feliz em ter a oportunidade de ser o Secretário neste aniversário de 115 anos do IZ" e a todo tempo enfatizou a integração dos elos de todas as cadeias produtivas.

Ayroza abriu o evento destacando a trajetória histórica do Instituto e sobre as diversas tecnologias e atividades geradas, que estão no dia a dia da população, seja no campo ou na cidade, por meio de acesso a novas formas de produção e alimentos saudáveis. O reflexo desses trabalhos também está no mercado internacional, já que os resultados ultrapassam as fronteiras com a exportação de produtos e tecnologias agropecuárias.

Logo de início, o secretário Gustavo Junqueira lançou uma pergunta descontraída sobre preço da arroba do boi ao presidente do Grupo Pecuária Brasil (GPB) e proprietário da Fazenda Morada do Sol - Agropecuária OFJ, pecuarista Oswaldo Furlan Junior, que comentou que o mercado vem firme para a pecuária de corte e as exportações em ascendência. Apesar de ter ocorrido uma queda no mercado interno, ela não atrapalhou economicamente a produção dos alimentos, ressaltando ainda "a capacidade do pecuarista em ter a produção de carne à disposição do consumidor e a garantia de que não faltará o produto de qualidade este ano".

O secretário também destacou o Dia do Pecuarista, celebrado em 15 de julho, e enfatizou o papel fundamental do GPB na disponibilização das informações digitalizadas de forma uniforme e exclusiva ao produtor, focadas em custos, manejo, e gestão, que garantem expressivo ganho de produtividade.

Furlan, que representou os pecuaristas, destacou o trabalho do GPB que iniciou em 2014 e a importância das redes sociais que agregou ao produtor informação de qualidade na palma da mão. "O Grupo veio com o conceito de trazer a informação, a troca de experiência, e levar ao mercado o preço da arroba do boi em tempo real, por meio do balizador GBP, que em breve se tornará um índice oficial."

Furlan considerou que a contribuição da ciência na indústria de proteína animal é importante para melhorar a rentabilidade do produtor rural. O pecuarista tem uma instituição de pesquisa agropecuária centenária, que oferece o que há de melhor em genética, com profissionais especialistas na área. "Hoje temos a parceria com o IZ, vários grupos de Whatsapp do GPB. Vejo que o produtor tem que sair da porteira e procurar o que a ciência tem a oferecer de melhor para aumentar a rentabilidade de sua produção."

Karla Camargo, diretora de Relações Governamentais da Boehriger Ingelheim Saúde Animal, comentou como melhorar a cadeia produtiva partindo da experiência da indústria, que também é uma empresa com 135 anos, que promove a saúde e inovação, com grande foco em pesquisa. "O desenvolvimento do setor acontece a partir de associações e integração com institutos de pesquisa, com organizações que promovem o desenvolvimento e o conhecimento. Trabalhamos com cerca de 30 organizações no mundo."

Segundo Karla, o investimento da empresa em pesquisa gira em torno de 10% do faturamento. "No ano passado investimos 3,5 bilhões de euros em pesquisa, é um investimento substancial, para chegar ao produtor com as melhores tecnologias, garantindo rentabilidade, produtividade e segurança para o consumidor."

Joslaine Cyrillo, pesquisadora e diretora do Centro Avançado de Pesquisa de Bovinos de Corte do IZ, destacou que como em toda ciência os fatores são multidisciplinares, e o objetivo final é a produção animal com alta qualidade.

Para Joslaine, que trabalha com melhoramento genético, não tem como trabalhar sem a integração com a nutrição, sanidade e bem-estar animal. "Estamos passando por uma fase muito produtiva, tivemos nos últimos três anos um investimento robusto, e conseguimos construir um parque tecnológico que contempla todas as disciplinas na cadeia produtiva da bovinocultura de corte, considerando desde a estrutura básica, os modelos animais e equipamentos laboratoriais", salientou.

Ao abordar a cadeia produtiva do leite, o secretário lembrou que a atividade leiteira é a mais efetiva no agro brasileiro, está em grande parte das propriedades rurais brasileiras e é um setor muito heterogêneo que necessita de ações na gestão sanitária e financeira, para maior rentabilidade do produtor. Ainda destacou que é o setor com maior eficiência privada da economia brasileira, com pouca interferência do Estado.

O diretor do Centro de Bovinos de Leite, Luiz Carlos Roma Júnior, falou da pesquisa e comentou o que pode ser feito para conquistar o mercado internacional. "Leite é um desafio constante, e o Instituto tem total capacidade de colaborar com os produtores com pesquisas focadas na integração de todos os elos, visando a melhoria da qualidade do leite."

"A palavra hoje é sustentabilidade, usando todos os recursos da propriedade para melhorar a qualidade do leite e atender as exigências para exportação. Hoje, temos a parceria com a Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS) com trabalhos de melhoria da qualidade do leite em todo o Estado de São Paulo, por meio do laboratório móvel para análises, e atendendo ao produtor com transferência de conhecimento e tecnologia", enfatizou Roma.

Também foram citados os estudos relevantes para a história do IZ, com parcerias para o desenvolvimento de pesquisas com leite orgânico e com leite A2.

Na cadeia produtiva de aves e ovos, José Evandro de Moraes, pesquisador do Centro de Zootecnia Diversificada, falou como o IZ tem desenvolvido as pesquisas na área e destacou a importância de momentos como este para tratar do assunto.

Segundo Evandro, o Instituto é um dos únicos laboratórios do país que faz avaliação de qualidade de ovos, recebendo amostras de diversos Estados brasileiros e Centros de Pesquisas que utilizam deste importante serviço. "Há muitas perguntas que só a pesquisa poderá responder, e há uma alta demanda para produtos orgânicos e livres de antibióticos."

"Recentemente tivemos a grande surpresa pelo aumento de 30% na procura por ovos orgânicos dentro do Estado de São Paulo, e para atender essa demanda a equipe está investindo em sistemas de produção, que irão avaliar o uso dos manejos sem os antibióticos, com apoio ainda do melhoramento genético em parceira com a Esalq/Usp e as Casas Genéticas Internacionais de aves especificas para a criação solta - livres de gaiola", detalhou Evandro.

Segundo Evandro, as linhas de pesquisa são relevantes e terão grande retorno. "Há uma previsão de aumento de 40% na produção atual de ovos para os próximos dez anos, e a população quer esse ovo de qualidade oriundo de sistemas orgânicos ou livre de antibióticos.

Todos os participantes fecharam a live falando das expectativas e oportunidades, destacando para o futuro os benefícios da pesquisa científica, o associativismo e a integração dos elos das cadeias. Além de pensar no consumidor, que está mais exigente por produtos saudáveis.

Ainda destacaram a busca da integração de diferentes tecnologias para entregar soluções preditivas aos produtores, para que possam se antecipar de forma mais assertiva diante das demandas de cada cadeia, para aumentar a produtividade e diminuir os custos operacionais.

O secretário destacou o trabalho do coordenador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), Antonio Batista Filho, que tem feito a reorientação das pesquisas no Estado de São Paulo ao selecionar as mais relevantes, que trarão benefícios à produção agropecuária.

A tecnologia está cada dia mais complexa e ao mesmo tempo necessária, exigindo dos pesquisadores uma visão de trabalho multidisciplinar e sistêmico. "A palavra chave é a integração, com a aproximação das Coordenadorias da Secretaria para se ter maior conhecimento sobre as demandas do setor produtivo e as exigências do consumidor", finalizou Ayroza.

História do IZ
Referência nacional e internacional por suas pesquisas científicas nas áreas de produção animal e pastagens, desde 1909, o Instituto já realizava as primeiras seleções de Gado Caracu, na Fazenda de Seleção do Gado Nacional, em Nova Odessa (SP).

Foi com a contribuição extremamente marcante e eficaz do doutor Carlos Botelho, que ocupava o cargo de secretário de Agricultura, que em 15 de julho de 1905, foi criado, na Mooca, em São Paulo, o Posto Zootécnico Central. Permaneceu ali até 1929 e depois transferiu-se para o Parque da Água Branca, em São Paulo.

Em 1970, passou a ser denominado Instituto de Zootecnia, adaptando-o às necessidades exigidas pela grande expansão que vinha alcançando a produção animal nas últimas décadas. De 1970 a 1975, a sede permaneceu no Parque da Água Branca, transferindo-se então para o município de Nova Odessa (SP).

A unidade compreende os Centros de Pesquisa de Bovinos de Leite, de Nutrição Animal e Pastagens, de Genética e Reprodução Animal e de Zootecnia Diversificada; em Sertãozinho, está o Centro Avançado de Pesquisa de Bovinos de Corte; e cinco Unidades de Pesquisa e Desenvolvimento nos municípios de Registro, Tanquinho, Itapeva, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, municípios do interior de SP.

Com unidades localizadas em áreas estratégicas do Estado de São Paulo, o IZ conta com 156 funcionários, sendo 44 pesquisadores científicos com mestrado, doutorado e pós-doutorado, e 112 servidores, dentre assistentes, técnicos auxiliares e oficiais de apoio à pesquisa científica e tecnológica. Atualmente, mantém mais de 30 parceiros entre empresas, indústrias, frigoríficos e produtores. Tem em estudo 61 projetos de pesquisas, com diversos artigos publicados em revistas científicas de excelência. E é essa pesquisa e inovação que está à disposição do produtor rural, integrando mercado e indústria.

Para diminuir a distância entre a pesquisa, o produtor e a sociedade, cumprindo as diretrizes do Governo do Estado de São Paulo, o IZ mantém as portas abertas para a sociedade, principalmente aos estudantes, grandes formadores de opinião. Ainda conta com atividades para estagiários por meio de contratos com Universidades.

O IZ também mantém, desde 2009, o programa de pós-graduação em "Produção Animal Sustentável", nível mestrado, reconhecido pela CAPES. O programa tem como objetivo capacitar e formar profissionais da área com enfoque em produção animal eficiente, qualidade de produto animal e redução de impactos ambientais provocados pelas atividades de produção.

Desde 1941, o IZ também publica o Boletim de Indústria Animal, de acesso livre, com resultados científicos do IZ e outras instituições.


Compartilhe:: Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...:
 
https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

<::::::::::::::::::::>
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
<::::::::::::::::::::>
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar e sera atendido. -  Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
<::::::::::::::::::::>

Adicionar comentário

Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Ferramenta Automatizada...IMPORTANTE: COMENTÁRIOS com LINK são bloqueados automaticamente (COMMENTS with LINKS are automatically blocked.)...Sucesso!


voltar ao topo