Logo
Imprimir esta página

ALLIANZ: A emergente indústria do hidrogênio pode ajudar a enfrentar mudanças climáticas, mas seus riscos complexos precisam ser gerenciados (Destaque)

ALLIANZ: A emergente indústria do hidrogênio pode ajudar a enfrentar mudanças climáticas, mas seus riscos complexos precisam ser gerenciados

- Impulsionado pela mudança climática, pelas possibilidades de armazenamento de energia, de seu uso como combustível e a intenção a longo prazo de substituir a dependência do carvão e do petróleo, o hidrogênio tem o potencial de se transformar de uma fonte de energia nichada em um grande negócio.

- O novo boletim da Allianz Global Corporate & Specialty (AGCS) destaca os riscos operacionais que precisam ser tratados em projetos de hidrogênio, incluindo riscos de incêndio e explosão, impacto de fragilização e exposição a interrupções de negócios.

- A AGCS vê uma crescente demanda por cobertura de seguro para soluções de hidrogênio no futuro.

Promovido por programas de financiamento governamentais em todo o mundo, prevê-se que o hidrogênio desempenhe um papel de liderança na transição energética para uma economia de baixo carbono. Como alternativa aos combustíveis fósseis como petróleo e carvão, as soluções de hidrogênio podem ser fundamentais para enfrentar a mudança climática no futuro, ajudando muitas indústrias a reduzirem suas emissões de carbono. Embora a tecnologia do hidrogênio esteja em uso há décadas, os megaprojetos atualmente planejados requerem uma maior gestão de riscos. Um novo boletim da Allianz Global Corporate & Specialty (AGCS) destaca algumas das oportunidades e desafios da emergente indústria de hidrogênio, enfatizando que os riscos potenciais em torno de sua produção, armazenamento e transporte - principalmente incêndio e explosão, mas também falhas técnicas e interrupção de negócios - precisam ser gerenciados de forma proativa.

"O hidrogênio (produzido a partir de baixo carbono ou mesmo de energias renováveis) é de importância crescente para a substituição de combustíveis fósseis nos campos da energia, abastecimento, mobilidade e indústria", diz Chris van Gend, Diretor Global de Energia e Construção da AGCS. "Ele tem o potencial de se transformar de uma fonte de energia de nicho em um grande negócio, com países alocando bilhões para aumentar sua infra-estrutura e com projetos sendo desenvolvidos em todo o mundo. Apesar destes sucessos, há desafios a serem superados para que o hidrogênio se torne uma parte importante da transição energética, como o custo de produção, a complexidade da cadeia de abastecimento e a necessidade de novos padrões de segurança".

Apoio governamental: Mais de 30 países já produziram roteiros de hidrogênio

A mudança global em direção à descarbonização desencadeou um forte impulso na indústria do hidrogênio. Ele oferece várias opções para a transição em direção a uma economia de baixo carbono: como transportador de energia e meio de armazenamento para a conversão de volta à eletricidade, como combustível para todos os meios de transporte e mobilidade e como um substituto potencial para os hidrocarbonetos fósseis em indústrias como a produção de aço ou petroquímica.

Em todo o mundo, existe um forte compromisso governamental com as iniciativas de hidrogênio, apoiado por apoio financeiro e regulamentação: Desde o início de 2021, mais de 30 países produziram roteiros de hidrogênio e os governos de todo o mundo comprometeram-se com mais de 70 bilhões de dólares em financiamento público, de acordo com a McKinsey. Há mais de 200 projetos de produção em larga escala em preparação. Em março deste ano, uma empresa de capital misto brasileira anunciou um projeto milionário para geração de hidrogênio em suas instalações. O objetivo principal é buscar sinergia entre a geração hidroelétrica e o armazenamento de energia, além de otimizar instalações já consolidadas e com infraestrutura instalada, como linhas de transmissão e subestações.

Avaliando o ambiente de risco

Muitas das tecnologias utilizadas para a geração de hidrogênio ou energia a partir do hidrogênio são, em princípio, bem conhecidas. Os consultores de risco da AGCS têm considerável experiência no manuseio de projetos de hidrogênio em diversas áreas diferentes. "Hoje, a grande maioria do hidrogênio é produzida e utilizada in loco. O que é novo é que o tipo e a escala de sua adaptação estão mudando fundamentalmente, com o rápido crescimento esperado das plantas no futuro. Vemos o advento de projetos em grande escala em muitos países com vários novos players entrando no mercado, somando-se aos já estabelecidos - e a gestão de risco tem que acompanhar o ritmo", diz Thomas Gellermann, consultor de risco da AGCS e especialista do Allianz Center for Technology. Tendo em vista uma perspectiva tecnológica, os seguintes riscos operacionais são destacados no boletim da AGCS:

- Riscos de incêndio e explosão: O principal risco ao manusear o hidrogênio é de explosão quando misturado com o ar. Além disso, os vazamentos são difíceis de identificar sem detectores adequados, pois o hidrogênio é incolor e inodoro. Uma chama de hidrogênio é quase invisível à luz do dia. As estatísticas de investigação de perdas na indústria mostram que aproximadamente um em cada quatro incêndios de hidrogênio pode ser atribuído a vazamentos e cerca de 40% não são detectados antes da perda.

- "A proteção contra incêndio e explosão precisa ser considerada em três níveis diferentes", explica Gellermann. "Prevenir, tanto quanto possível, a fuga de gases inflamáveis. Assegurar um projeto seguro de instalações elétricas e de outras áreas onde as fontes de ignição não podem ser excluídas e construir edifícios e instalações para resistir a uma explosão, com danos limitados". O manejo adequado do gás hidrogênio é crítico, e qualquer situação de emergência requer equipamento de segurança contra incêndio apropriado".

Uma análise da AGCS de mais de 470.000 sinistros em todos os setores industriais ao longo de cinco anos mostra como pode ser caro o risco de incêndio e explosão. Incêndios e explosões causaram danos consideráveis e perdas financeiras de mais de 14 bilhões de euros (16,7 bilhões de dólares) ao longo do período em análise. Excluindo os desastres naturais, mais da metade (11) das 20 maiores perdas de seguros analisadas foram devido a esta causa, tornando-a número um de perdas para as empresas em todo o mundo.

- Fragilização do material: A difusão do hidrogênio pode fazer com que metal e aço (especialmente aços de alta resistência) se tornem quebradiços e uma ampla gama de componentes pode ser afetada, por exemplo, tubulações, reservatórios ou componentes de máquinas. Em conjunto com a fragilização, podem ocorrer trincas induzidas por hidrogênio (HAC). Para a segurança dos sistemas a hidrogênio, é importante que problemas como o risco de fragilização e HAC sejam levados em conta na fase de projeto. Isto é garantido pela seleção de materiais adequados paras as cargas esperadas, bem como pela consideração das condições apropriadas de operação (pressão do gás, temperatura, carga mecânica). Os aços de alta resistência estão particularmente expostos ao risco de danos relacionados ao hidrogênio.

- Exposições de interrupção de negócios (BI): A produção ou transporte de hidrogênio normalmente envolve equipamentos de alta tecnologia e a falha em peças críticas pode resultar em graves interrupções de negócios e perdas financeiras significativas. Por exemplo, em caso de danos às células de eletrólise (usadas na eletrólise de água) ou trocadores de calor em plantas de liquefação, pode levar semanas, se não meses, para substituir tais equipamentos essenciais, resultando em atrasos na produção. Além disso, os custos de lucros cessantes após um incêndio podem aumentar significativamente o montante final de perdas. Por exemplo, a análise da AGCS mostra que em todos os setores industriais, a perda média de BI de um incidente de incêndio é cerca de 45% maior do que a perda média direta de propriedade.

Espera-se um aumento significativo da demanda por seguros

Enquanto os projetos autônomos de hidrogênio têm sido raros no mercado de seguros até hoje, a produção de hidrogênio como parte de instalações integradas de refino e petroquímica tem sido há muito tempo um elemento básico do portfólio de seguros de energia e construção da AGCS. Dados os numerosos projetos em desenvolvimento em todo o mundo, as seguradoras podem esperar um aumento significativo na demanda futura de cobertura no futuro para construir e operar plantas de eletrólise ou tubulações para transporte de hidrogênio.

"Como em qualquer risco energético, fogo e explosão são um risco-chave. Exposições a lucros cessantes e responsabilidade civil também são importantes, assim como os riscos no trânsito, instalação e as falhas mecânicas", explica van Gend. Ele espera um aumento significativo nas oportunidades às quais a AGCS pretende responder de forma proativa. "Estamos desenvolvendo uma abordagem mais detalhada de subscrição para projetos de hidrogênio, garantindo que possamos atender clientes em todo o mundo". Há, com razão, um grande entusiasmo em torno das soluções de hidrogênio como um fator-chave para uma economia de baixo carbono, mas não devemos ignorar que estes projetos envolvem riscos industriais e energéticos complexos e exigem altos níveis de experiência em engenharia e know-how em seguros, a fim de poder oferecer cobertura. Aplicaremos o mesmo rigor na seleção de riscos e na subscrição de projetos de hidrogênio que aplicamos em nossos atuais negócios operacionais e de construção de energia. ”

Para uma visão geral completa das medidas de prevenção de perdas para a economia do hidrogênio, faça o download do relatório aqui.

Sobre Allianz Global Corporate & Specialty

Allianz Global Corporate & Specialty (AGCS) é uma operadora líder global de seguros corporativos e uma importante unidade de negócios do Grupo Allianz. A AGCS oferece consultoria de risco, soluções em seguros Property-Casualty e transferência de risco alternativa para uma ampla gama de riscos comerciais, corporativos e especiais em 10 linhas de negócios dedicadas.

Nossos clientes são tão diversos quanto seus negócios, variando de empresas da Fortune Global 500 a pequenas companhias. Entre elas estão as maiores marcas de consumo do mundo, empresas de tecnologia, a indústria global de aviação e navegação, mas também vinícolas, operadoras de satélites ou atores de filmes de Hollywood. Todos procuram a AGCS por respostas inteligentes aos seus maiores e mais complexos riscos em um ambiente de negócios dinâmico e multinacional, e confiam em nós para oferecer uma experiência de sinistros excepcional.

Nós estamos em constante aprimoramento para oferecer o melhor para nossos clientes através de nossa equipe global de cerca de 4.400 colaboradores, de mais de 70 nacionalidades, em 31 países do mundo. Como uma das maiores unidades Property-Casualty do Grupo Allianz, somos apoiados por sólidos índices de força financeira e uma rede global presente em mais de 200 países e territórios. Em 2020, a AGCS gerou um total de € 9,3 bilhões de prêmio bruto em todo o mundo.

Para mais informações acesse www.agcs.allianz.com ou siga nossos perfis no Twitter @AGCS_Insurance e LinkedIn.


Compartilhe:: Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...:
 
https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

<::::::::::::::::::::>
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
<::::::::::::::::::::>
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar e sera atendido. -  Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
<::::::::::::::::::::>

Copyright ©2002-2021 Clipping - Segs - Portal Nacional de Seguros, Saúde, Veículos, Informática, Info, Ti, Educação, Eventos, Agronegócio, Economia, Turismo, Viagens, Vagas, Agro e Entretenimento. - Todos os direitos reservados.- www.SEGS.com.br - IMPORTANTE:: Antes de Usar o Segs, Leia Todos os Termos de Uso.
SEGS é compatível com Browsers Google Chrome, Firefox, Opera, Psafe, Safari, Edge, Internet Explorer 11 - (At: Não use Internet Explorer 10 ou anteriores, além de não ter segurança em seu PC, o SEGS é incompatível)
Por Maior Velocidade e Mais Segurança, ABRA - AQUI E ATUALIZE o seu NAVEGADOR(Browser) é Gratuíto