Logo
Imprimir esta página

O impacto da pandemia e o papel da tecnologia no ensino médico

Por Marcelo Lancerotti

É certo que o surgimento da pandemia afetou diretamente todo o setor de saúde. Os hospitais e instituições da área tiveram suas rotinas transformadas em questão de dias, em um contexto de incertezas até para os profissionais mais experientes. Não distante disto, o segmento de educação também sofreu com as mudanças de hábitos, paralisação das atividades, novos formatos e a necessidade de inclusão de novas tecnologias para viabilizar a qualidade do ensino.

Diante deste cenário, as universidades de medicina viram-se cercadas de novos desafios. Como lidar com uma emergência mundial em saúde, com adaptações às novas metodologias de ensino, com escassez de profissionais – que migraram das salas de aula para a linha de frente no combate ao COVID –, ao mesmo tempo em que precisam garantir a formação de profissionais capacitados? Tudo isso tem levado a uma verdadeira revolução na educação médica, que precisou de uma transformação brusca para conseguir cumprir este papel.

Os principais desafios da educação médica

Com o isolamento social imposto pela pandemia, as universidades, independente da fluência em TI, tiveram que se adaptar - como todo o mercado - e adotar um novo modelo de ensino: o EAD. Mas como manter o engajamento dos alunos neste novo processo de aprendizagem e propiciar a própria retenção do conhecimento? Em especial, levando em consideração a diferença de perfis de alunos, classes sociais, níveis de familiaridade com a tecnologia e os graus de maturidade das universidades no que tange o uso destas ferramentas.

É fato que, antes mesmo da pandemia, muitas universidades de medicina vinham apostando em metodologias ativas de ensino, para garantir a formação de profissionais capacitados e mais independentes. De certa forma, estes métodos possibilitam, por exemplo, a montagem de grupos de estudo e de salas invertidas, que tem como papel estimular os alunos a buscarem conhecimento espontaneamente e não aguardar apenas as informações trazidas pelos professores durante o período de aula.

Mesmo com esta atualização por parte das instituições, nada se compara à transformação gerada por este novo cenário. A mudança cultural e de espaço, bem como a inclusão de um ambiente 100% digital, desencadearam incertezas sobre o futuro acadêmico para a maioria dos alunos, agravadas pelo cancelamento temporário e emergencial das atividades práticas daqueles que cursam os primeiros ciclos da graduação.

Claro que o cenário abrupto abriu os olhos de toda a comunidade acadêmica para a necessidade de investimentos em tecnologia. Em um momento inicial, a ideia era dar continuidade ao processo de formação dos alunos, em diferentes estágios do curso, não só para não atrasar seus estudos, mas também prepará-los para atuação imediata.

O papel da tecnologia no ensino médico

No entanto, o que foi feito é um grande passo para novas possibilidades e para a evolução da educação médica quando o cenário estiver mais próximo da normalidade. Em algumas instituições, as aulas online, além de mais interativas, ganharam o reforço de plataformas mais atualizadas e condizentes com a realidade dos estudantes e com as necessidades de cada universidade, que poderão ser utilizadas para melhorar a infraestrutura e expandir as formas de ensino, mesmo em um cenário pós-pandemia.

Para os alunos em ciclos mais avançados, em que os atendimentos em hospitais e postos de saúde fazem parte da realidade e do dia a dia, o desafio era outro: Como ter acesso a conteúdos médicos confiáveis e de qualidade, enfrentando ora a carência de orientações e, em um segundo momento, um volume avassalador de informações - muitas delas sem embasamento científico - que surgiam e mudavam a todo momento?

Este novo contexto exigiu um forte crivo sobre as diretrizes mais atualizadas a serem seguidas. Primeiro, para preparar o corpo docente para que ele pudesse transferir esse conhecimento para os alunos. Segundo, para dar suporte a estes estudantes no momento de tomada de decisões importantes.

O paradigma da medicina baseada em evidências é bem reconhecido pela classe médica, mas é relativamente recente e ainda está em evolução. No entanto, já se percebe uma mudança interessante no sentido de usar as tecnologias como validação científica.

Neste momento, os recursos de suporte à decisão clínica tornaram-se um dos pilares para auxiliar o trabalho desenvolvido pela área médica e garantir a efetividade clínica. As evidências assumiram um papel fundamental em um momento delicado.

Com o passar do tempo, o cenário pandêmico tende a se aproximar do fim em diversas partes do mundo. No entanto, as consequências e o impacto tecnológico gerados neste momento devem permanecer como um forte aliado para o futuro da evolução do ensino médico nas universidades.

Marcelo Lancerotti é Country Manager da unidade de Efetividade Clínica da Wolters Kluwer, Health no Brasil.


Compartilhe:: Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...:
 
https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

<::::::::::::::::::::>
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
<::::::::::::::::::::>
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar e sera atendido. -  Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
<::::::::::::::::::::>

Copyright ©2002-2021 Clipping - Segs - Portal Nacional de Seguros, Saúde, Veículos, Informática, Info, Ti, Educação, Eventos, Agronegócio, Economia, Turismo, Viagens, Vagas, Agro e Entretenimento. - Todos os direitos reservados.- www.SEGS.com.br - IMPORTANTE:: Antes de Usar o Segs, Leia Todos os Termos de Uso.
SEGS é compatível com Browsers Google Chrome, Firefox, Opera, Psafe, Safari, Edge, Internet Explorer 11 - (At: Não use Internet Explorer 10 ou anteriores, além de não ter segurança em seu PC, o SEGS é incompatível)
Por Maior Velocidade e Mais Segurança, ABRA - AQUI E ATUALIZE o seu NAVEGADOR(Browser) é Gratuíto