Brasil, 21 de Novembro de 2019

TOKIO MARINE SEGURADORA

Osteoporose é discutida em Audiência Pública em Brasília (DF)

Comissão dos direitos da Pessoa Idosa reuniu entidades de classe, médicos e líderes.

Cenário social da doença óssea no Brasil impulsiona o movimento da Coalizão.

Até 2029, especialistas preveem um aumento de 63% no número de fraturas.

Com o objetivo de esclarecer formas de prevenção e o tratamento da osteoporose no país, a Audiência Pública Ordinária da “Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa”, que aconteceu na última quinta-feira (24), na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), debateu sobre “O Cenário da Osteoporose no Brasil”.

O texto foi elaborado pela Coalizão sobre a osteoporose no Brasil, formada por especialistas e entidades de classe, que consideram a iniciativa um alerta, para que a longevidade saudável seja um assunto de prioridade para a saúde pública. Tem o foco de contribuir para a formulação tanto de políticas como linhas de cuidado baseadas em evidências científicas, para melhorar o diagnóstico e o tratamento da doença no país.

O médico e diretor da ABQV – Associação Brasileira de Qualidade de Vida, Dr. Alberto Ogata, destacou durante a Audiência que a união de todos os setores é fundamental para o enfrentamento do problema. “A saúde óssea da nossa população é um assunto de extrema urgência. Ações concretas como as que estão sendo iniciadas hoje aqui são fundamentais. Além disso, os fatores sociais como segurança, independência, qualidade de vida e empregabilidade, além da redução dos custos com medicamentos e hospitais, também colaboram diretamente com a boa saúde emocional e física da população idosa”.

O vice-presidente da Comissão Nacional de Osteoporose da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), Dr. Ben-Hur Albergaria, explicou sobre o impacto da osteoporose para a sociedade. “Essa é uma doença frequente e grave. A cada três segundos uma fratura por osteoporose acontece em algum lugar do mundo. Uma a cada três mulheres vai ter uma fratura a partir dos 50 anos de idade”.

O contexto da doença no Brasil foi pontuado como um alerta social, mediante estatísticas do Consenso Latino Americano da Osteoporose e estudos científicos, que impulsionaram movimento da Coalizão. “A nossa taxa bruta de fraturas em homens e mulheres acima de 50 anos é de oito para mil. Para cada mil brasileiros com mais de 50 anos, oito irão apresentar fratura por osteoporose. Podemos calcular utilizando o FRAX, 10% da população acima de 65 anos vai ter uma fratura, 33% das mulheres da pós menopausa tem osteoporose, esse é um número extremamente importante, são quase sete milhões de brasileiras que tem osteoporose e a maioria não sabe disso. Em 2015, tivemos 370 mil fraturas e em 2018 o número passou para 415 mil. Nos próximos dez anos haverá um aumento 63% das fraturas, não há orçamento sozinho que consiga cobrir isso se nós não trabalharmos proativamente para reverter essa situação”, disse o vice-presidente da FREBRASGO.

Uma das soluções mencionadas foi incluir a osteoporose na Atenção Primária à Saúde (APS), além da melhor distribuição demográfica dos aparelhos que medem a densidade mineral óssea (DXA) e utilização do Fracture Risk Assessment Tool (FRAX), ferramenta de avaliação desenvolvida pela Organização Mundial da Saúde (OMS). “Já avançamos muito, porém há muito o que caminhar para que tenhamos uma prioridade nacional. Em termos de linha de cuidado, temos que fazer com que a prevenção da osteoporose chegue ao clínico geral, à saúde da família, se quisermos vencer esse desafio populacional o cuidado primário é a chave para isso”, concluiu Dr. Ben-Hur Albergaria.

O Deputado Denis Bezerra (PSB-CE), foi autor do requerimento que solicitou o debate. Participaram da Audiência Pública, parlamentares, médicos, especialistas, convidados, líderes e representantes das entidades de classe: ABRASSO – Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo; ABOOM – Associação Brasileira Ortopédica de Osteometabolismo; SBR – Sociedade Brasileira de Reumatologia; FEBRASGO – Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia; SBEM – Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - Regional São Paulo e Osteoporose Brasil.

Link a Audiência Pública na Íntegra: https://www.camara.leg.br/evento-legislativo/57985?videoCompleto

Sobre a ABQV – Fundada em 1995, a ABQV – Associação Brasileira de Qualidade de Vida, é uma organização sem fins lucrativos, que tem como objetivo estimular ações e programas de qualidade de vida em ambientes corporativos, bem como desenvolver parcerias e convênios com importantes entidades da sociedade brasileira. Tem como foco desenvolver e integrar profissionais para atuação em Qualidade de Vida e influenciar processos de transformação organizacionais e sociais. Para atingir tal meta, oferece subsídios atualizados e relevantes a profissionais que desejam ampliar seus conhecimentos na área, e atuar como multiplicadores de uma rotina que alie harmoniosamente trabalho e bem-estar. Atua em âmbito nacional e possui empresas associadas em todo o Brasil.

A ABQV é parceira do Global Healthy Workplace Awards (GHWA), premiação internacional que reúne os principais líderes em saúde e bem-estar do mundo, idealizada com o objetivo de reconhecer os programas de promoção da saúde no ambiente de trabalho que se destacam globalmente, que também estejam de acordo com o Modelo de Ambiente de Trabalho Saudável estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS). www.abqv.org.br



Publicidade



Compartilhe:: Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...: https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

Separador
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
Separador
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar que voce sera atendido. - Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta totalmente automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
Separador

Adicionar comentário

Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Ferramenta Automatizada...IMPORTANTE: Comentários com Link são bloqueados automaticamente (Comments with Links are automatically blocked.)...Sucesso!


voltar ao topo

Notícias ::

Mais Itens ::

NEWSLETTER SEGS