Brasil, 25 de Agosto de 2019

TOKIO MARINE SEGURADORA

Para tributarista, cobrar ICMS nas exportações é inviável ante a existência imunidade

Caio Bartine, tributarista

Endividados, os estados estão de olho numa forma de aumentar a arrecadação e querem aproveitar a reforma tributária em discussão com o Governo federal para faturar mais. Uma das propostas dos governadores a ser incluída no projeto de reforma é voltar tributar toda a produção feita em seu território, inclusive a de produtos destinados à exportação. Isso, na prática, representaria o fim da chamada Lei Kandir, que foi aprovada em 1996, que desonerou do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) estadual as exportações de mercadorias (produtos primários, industrializados semi-elaborados e serviços).

Pela lei, para a compensar as perdas por esta não-arrecadação, a União tem de ressarcir os estados. No entanto, os governadores alegam que os pagamentos não são feitos na totalidade e, por isso, querem rever na reforma tributária. "Os governadores têm buscado junto ao Governo federal a manutenção de sua autonomia financeira, tendo em vista que ao longo do tempo houve reduções significativas de incidência de ICMS, o que foi tirando grande parcela da arrecadação dos estados e comprometendo sua autonomia financeira fazendo com que muitos dependessem do fundo de participação (modalidade de transferência constitucional de recursos financeiros da União para estados)", explica o tributarista Caio Bartine, professor de Direito Tributário do Damásio Educacional.

"A partir do momento que os estados determinam através de seus governos que uma das coisas que se pretende fazer é o retorno da incidência do ICMS sobre as exportações não me parece que tal medida seja viável, uma vez que trata-se de um critério de imunidade específica própria do ICMS prevista na Constituição".

De acordo com o tributarista, as imunidades são garantias constitucionais previstas, em sua maioria, em cláusulas pétreas e, por isso, não podem ser suprimidas da Constituição. "Existem outros mecanismos que podem ser adotados, mas a questão do ICMS nas exportação não me parece a medida mais acertada", defende o advogado.


Compartilhe:: Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...: https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

Separador
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
Separador
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar que voce sera atendido. - Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta totalmente automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
Separador

Adicionar comentário
Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Esta ferramenta é automatizada...Sucesso!


voltar ao topo

Notícias ::

NEWSLETTER SEGS