Brasil, 19 de Julho de 2018

+ F O N T E -

Decreto que reduz alíquota do REINTEGRA é inconstitucional

Decreto que reduz alíquota do REINTEGRA é inconstitucional

O especialista do escritório Küster Machado Advogados Associados destaca que o novo Decreto traz uma majoração indireta de tributos que terá aplicabilidade imediata.

Um Decreto publicado no último dia 30 de maio de 2018 (n. 9.393) vem deixando muitos administradores confusos. A nova regra alterou expressivamente a alíquota do Reintegra – Regime Especial de Reintegração de Valores Tributários para as Empresas Exportadoras, reduzindo de 2% para 0,01%, norma que passou a valer a partir do dia 1º de junho, ou seja, dois dias após a publicação do respectivo Decreto. Segundo o advogado tributarista Cassius Lobo, do escritório Küster Machado Advogados Associados, a mudança apresenta claras ilegalidades e inconstitucionalidades.

“A nova regra afronta, diretamente, o Decreto n. 9.148, de 29 de agosto de 2017, que havia estipulado uma alíquota de 2% até 31 de dezembro de 2018. Denota-se aqui uma clara afronta ao princípio de segurança jurídica e certeza do direito, os quais são vitais para um adequado funcionamento das atividades privadas”, explica o especialista.

Diante da recente crise política nacional, a busca por outras fontes de receitas mostrou-se necessária, mas a previsibilidade e calculabilidade das normas devem ser preponderantes no momento em que entram em vigor. “Sendo as normas fiscais responsáveis por direcionar os comportamentos dos contribuintes, seja por meio de cooperação ou prestação pecuniária, a sua estabilidade deve ser primordial para que as decisões econômicas possam ser planejadas e executadas. Isso significa que uma mudança de posicionamento, repentina, como ocorreu nesse caso, traz um enorme grau de insegurança jurídica para os contribuintes”, comenta o advogado.

O especialista destaca que o novo Decreto traz uma majoração indireta da carga tributária suportada por determinados contribuintes, tendo, equivocadamente, uma aplicabilidade imediata. “Isso quer dizer que a redução do incentivo fiscal oriundo dos créditos do REINTEGRA implica em um verdadeiro aumento de arrecadação para a União e, paralelamente, uma majoração na carga tributária suportada pelo contribuinte”, diz.

Dr. Cassius lembra que o posicionamento adotado pelo Supremo Tribunal Federal, no julgamento do Recurso Extraordinário nº 564.225/RS, sedimento que as revogações de benefícios fiscais das contribuições devem ser aplicadas com observância ao princípio da anterioridade nonagesimal. “E não poderia ser de outro modo, pois, do contrário, acaba violando o princípio da segurança jurídica. Precisamos relembrar que a própria Constituição Federal prevê que a norma tributária que majora determinado tributo, além de respeitar o exercício, terá que observar um prazo mínimo de 90 dias entre a sua publicação e sua vigência”, explica.

O especialista diz ainda que os resíduos tributários passíveis de ressarcimento são oriundos de contribuições sociais, para a apuração dos créditos do REINTEGRA é direito do contribuinte aplicar a alíquota de 2% durante os próximos 90 dias subsequentes à publicação do Decreto n. 9.323/2018.


Publicidade

Compartilhar::

Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...: https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

Separador
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
Separador
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar que voce sera atendido. - Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta totalmente automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
Separador

ADICIONE SEU COMENTÁRIO..::
Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Esta ferramenta é automatizada...Sucesso!


voltar ao topo