TOKIO MARINE SEGURADORA

38% das organizações financeiras não são capazes de diferenciar um ataque de atividades normais de clientes

  • Escrito por  JeffreyGroup Brasil
  • Publicado em Info & Ti
  • Imprimir

Uma pesquisa realizada pela Kaspersky Lab em conjunto com a B2B International descobriu que os bancos e as organizações de pagamento têm dificuldades em controlar as fraudes financeiras on-line no atual cenário tecnológico conectado e complexo. Mais de um terço (38%) das organizações reconhecem que é cada vez mais difícil detectar se uma transação é fraudulenta ou verdadeira.

O crescimento massivo dos pagamentos eletrônicos combinado aos novos avanços tecnológicos e às mudanças nas demandas corporativas forçaram as empresas a melhorar a eficiência de seus processos de negócios nos últimos anos. Em muitos casos, isso foi feito por meio da implementação de sistemas de fluxo eletrônico para a interação com clientes, fornecedores, etc. Os diversos tipos de pagamento eletrônico tornaram-se tão comuns que é absolutamente impossível para as empresas evitarem transações eletrônicas de qualquer tipo.

Conforme as empresas se envolvem cada vez mais com os ambientes digitais, é fundamental garantir a continuidade dos negócios e sua proteção contra ameaças virtuais. O índice de fraudes on-line acompanha o aumento do número de transações on-line, e 50% das organizações de serviços financeiros pesquisadas acreditam que há um crescimento das fraudes financeiras on-line. É claro que as instituições financeiras precisam fazer de tudo para proteger seus negócios e seus clientes dos criminosos virtuais.

A pesquisa mostrou que 41% das empresas implementaram uma solução de segurança cibernética interna, e 45% contam com uma solução de terceiros, como do banco, para reduzir os riscos. Além disso, 46% das empresas implementaram uma solução parcial ou não implementaram nenhuma solução contra fraudes financeiras. Dentre as organizações financeiras, apenas 57% têm uma solução de segurança especializada antifraude.

De acordo com esses resultados, cerca de metade das organizações que atuam no campo de pagamentos eletrônicos usa soluções não especializadas que, segundo as estatísticas, não são confiáveis contra fraude, e apresentam uma grande porcentagem de falsos positivos. O uso incorreto dos sistemas de segurança também pode acarretar o bloqueio de transações. Também vale notar que o desvio de pagamentos pode causar perda de clientes e, em última instância, uma redução nos lucros. Portanto, esse é um problema crítico para todas as empresas. A fraude não é o único problema; as instituições financeiras precisam reduzir o número de alarmes falsos em seus sistemas a fim de fornecer o melhor atendimento ao cliente possível.

"Com a diversidade de dispositivos e protocolos de comunicação, juntamente com o crescimento exponencial das tecnologias de segurança, incluindo vários tipos de monitoramento, detecção e prevenção, chegamos à uma situação onde muitos adquiriram uma espécie de cegueira digital. Isso acontece porque há uma enorme quantidade de dados. A tarefa mais difícil é identificar entre os dados aqueles que realmente representam um valor e que permitem detectar ataques em redes de instituições e máquinas dos clientes. De fato, muitas tecnologias modernas, que se denominam 'de ponta', na verdade servem pouco e são obsoletos. Definitivamente não é possível usar atualmente a segurança medieval que ainda é ensinada como a base de qualquer segurança, onde vários ataques operam de maneira avançada e com base em formas modernas de penetração de sistemas e vazamento de dados do cliente”, explica Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab.

Os especialistas da Kaspersky Lab recomendam que os bancos e serviços de pagamento usem métodos abrangentes de segurança contra fraudes on-line para proteger seus clientes em vários níveis. Por exemplo, a plataforma Kaspersky Fraud Prevention, que inclui ferramentas de controle de ameaças instaladas nos dispositivos dos clientes, além do componente de servidor localizado na infraestrutura de informações do banco. Ela proporciona proteção em vários níveis para bancos on-line e no celular.

Para saber mais sobre o Kaspersky Fraud Prevention, visite o site da empresa.
Sobre a Kaspersky Lab

A Kaspersky Lab é a maior empresa de capital fechado e uma das empresas no segmento de segurança de computadores que mais cresce no mundo. A empresa está classificada entre os quatro principais fornecedores de soluções de segurança para usuários de endpoints do mundo (IDC, 2014). Desde 1997, a Kaspersky Lab inova na área de segurança cibernética e oferece soluções de segurança digital e informações estratégicas eficientes para grandes corporações, empresas de pequeno e médio porte e para o consumidor final. A Kaspersky Lab é uma empresa internacional que opera em quase 200 países e territórios no mundo inteiro, fornecendo proteção para mais de 400 milhões de usuários. Saiba mais em http://brazil.kaspersky.com.

 

Compartilhar::
Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...: https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

Separador
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
Separador
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar que voce sera atendido. - Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta totalmente automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
Separador

voltar ao topo