A- A A+

TOKIO MARINE SEGURADORA

As 7 tendências tecnológicas de colaboração para 2016

  • Escrito por    Market21 Comunicação
  • Publicado em Info & Ti
  • Imprimir

As 7 tendências tecnológicas de colaboração para 2016

As sete previsões em colaboração da Polycom para este ano

A geração Millennials/Geração Y poderá moldar o Local de Trabalho do Futuro nos próximos anos

Os serviços de mobilidade e nuvem estão impulsionando novos casos de adoção de tecnologia de colaboração

A colaboração visual está se expandindo rapidamente para fora das salas de conferências

O WebRTC vem ganhando força no perímetro da empresa, porém enfrenta barreiras para uma adoção generalizada

O ano de 2015 foi importante à Polycom, quando celebrou tanto os seus 25 anos de fundação quanto a introdução da indústria de tecnologia de colaboração que redefiniu o mercado e o mundo do trabalho. Ao iniciar 2016, a empresa apresenta as suas sete previsões em colaboração e acredita que estas tendências transformarão ainda mais o local de trabalho do futuro.

Para a Polycom, 2015 foi um ano-chave para o segmento de colaboração, pois desde o primeiro dia a Polycom havia previsto grandes mudanças no cenário colaborativo, incluindo o aumento no uso de ferramentas de colaboração em empresas globais, alterações significativas nos espaços de trabalho e uma mudança estrutural na maneira como as pessoas se reúnem. No transcurso dos últimos 12 meses, o setor mudou. Os locais de trabalho estão melhor equipados para lidar com os desafios advindos de ambientes abertos e de multidões.

Novas soluções tecnológicas foram lançadas em 2015 com as quais a colaboração tornou-se algo mais fácil e produtivo no trabalho. Essas soluções podem reconhecer o número de pessoas em um local e bloquear os ruídos estranhos e incômodos comumente existentes em escritórios e ambientes abertos. O mais importante nisto é que estas novas soluções estão transformando a colaboração de modo a impactar positivamente sobre as organizações globais.

Um exemplo disto vem dos médicos em Utrecht, cidade nos Países Baixos (Europa), os quais realizaram e transmitiram a estudantes de medicina de todo o mundo a primeira cirurgia mundial em terceira dimensão (3D), mudando o jogo em relação à educação médica e entrega de melhores resultados aos pacientes.

Diante disto, inovadoras tecnologias e mais transformações estão previstas no decorrer de 2016:

1.    A geração dos Millennials/Geração Y está moldando o local de trabalho do futuro

A questão sobre qual geração terá o maior impacto sobre o local de trabalho do futuro foi respondida. Em 2015, a geração de Millennials/Geração Y tornou-se a maior força de trabalho nos Estados Unidos, sendo a mais ativa e comprometida através de redes sociais, utilizando a tecnologia mais frequentemente que qualquer outra geração para se manter em contato com familiares, amigos e colegas.

São colaboradores naturais e gravitam em torno de vídeo para a comunicação e a aprendizagem. Em um estudo recente encomendado pela Polycom, 78% da geração dos Millennials/Geração Y indicaram que o aceso à tecnologia que preferem utilizar os tornam mais produtivos no trabalho.

O que eles experimentam em suas vidas pessoais é o que esperam em seu local de trabalho. A Polycom espera que os Millennials tenham grande impacto na constituição dos locais de trabalho em 2016, acreditando que as empresas que não oferecerem uma experiência de trabalho estimulante, contendo um rico conjunto de ferramentas de colaboração, correrão o risco de perder os melhores talentos. A Polycom aposta que o local de trabalho do futuro é aquele em que se pode engajar com sucesso a geração do milênio com uma força de trabalho existente.

2.    Agora a mobilidade é sobre a colaboração entre dispositivos

O local de trabalho do futuro não é em um endereço físico específico, é em qualquer lugar onde se está. Ou seja, está centrado na capacidade de as pessoas realizarem tarefas de trabalho a partir de qualquer local, em qualquer momento, a partir de qualquer dispositivo, com o mesmo nível de produtividade que pode ser alcançada em um ambiente de escritório tradicional. Um estudo recente encomendado pela Polycom apontou que 90% das empresas nos Estados Unidos estão oferecendo ou ampliando as opções de trabalho remoto, mudando rapidamente a forma de trabalhar.

A colaboração na era da mobilidade vai além das aplicações específicas oferecidas por um dispositivo. É, sobretudo, sobre a integração perfeita entre diferentes dispositivos e em diversos locais. Em 2016, a Polycom prevê que haverá um foco maior sobre como os dispositivos interagem uns com os outros para proporcionar uma experiência de colaboração ainda mais integrada. A capacidade de conectar sistemas pessoais e sistemas de colaboração de grupo com a mesma voz, conteúdo e experiências de vídeo de forma consistente e fácil através de dispositivos móveis garantirá a produtividade da força de trabalho móvel.

No próximo ano, a Polycom também espera ver mais profissionais que utilizam seus dispositivos móveis como aparelhos "remotos" pessoais conectando-se, controlando e interagindo com uma solução de colaboração corporativa de qualquer lugar.

3.    As tecnologias Web estão amadurecendo, mas a interoperabilidade continua sendo um desafio

Aproveitando o navegador Web para acesso, a colaboração tem sido uma meta para as empresas e a WebRTC está emergindo como uma opção técnica viável. Ira Weinstein, analista sênior da Wainhouse Research, prevê que nos próximos três a cinco anos, à medida que mais navegadores tornam a WebRTC mais amigável, cada vez mais empresas irão abraçar esta tecnologia. Inicialmente, esta abordagem simplificará as interações com clientes de vídeo, mas, ao longo do tempo, também se estenderão à colaboração corporativa.

A WebRTC permite conexões de vídeo de “navegador para navegador” sem necessidade de instalação de plug-ins ou outra tecnologia adicional. No entanto, apesar do interesse considerável, ainda levará algum tempo antes que a WebRTC seja adotada de forma generalizada. Isto se deve à falta de padronização, à compatibilidade inconsistente com navegadores e a interoperabilidade mínima requerida entre as aplicações WebRTC e soluções de colaboração corporativas estabelecidas. 

Em outra recente pesquisa de Mercado, realizada pela Virgin Media Business, somente 27% dos entrevistados reconheceram as conferências via Web como a ferramenta mais eficaz para colaboração a distância. Em vez disto, a Polycom espera que a WebRTC desempenhe um papel importante no sentido de torná-la mais familiar aos usuários finais para as comunicações de vídeo, mas continuarão a ficar aquém da qualidade de áudio, de compartilhamento de conteúdo e de vídeo existente em sistemas de colaboração visual corporativos. Para a WebRTC chegar ao mainstream, a interoperabilidade com um espectro mais amplo de ambientes corporativos será fundamental. Até lá, acredita-se que os usuários utilizarão a WebRTC ao lado de uma série de outras tecnologias para permitir a colaboração.

4.    Os locais de trabalho estão se transformando para apoiar novos estilos de atividades profissionais

O local de trabalho, agora, é onde quer que você esteja e este tem impulsionado uma mudança importante em instalações empresariais nas áreas de planejamento e TI.  A colaboração visual não está mais confinada à sala de conferências e recepção, pois está se estendendo por toda a empresa e em espaços virtuais fora do escritório. As comunicações em áudio, de compartilhamento de conteúdo e de vídeo já não se restringem em tecnologias para salas de conferências porque estão permeando cada área de trabalho interna e externa das empresas.

Em 2016, o mercado direcionará para um foco renovado nessa extensão, permitindo uma ampla gama de áreas de trabalho, redimensionando para salas menores com maior abrangência de pessoas e demonstrando um desejo crescente por soluções de colaboração de centro de sala. A Wainhouse Research estima que existam entre 30 a 50 milhões de salas para uma abrangente quantidade de pessoas ao redor do mundo, sendo que a grande maioria destas salas não possuem apoio para colaboração.

Enquanto as salas tradicionais de conferência ainda são importantes para apresentações, a Polycom avalia que as mesmas passarão por uma evolução para espaços projetados que suportem a colaboração em novos estilos de trabalho em salas virtuais, salas para maior abrangência de interação de pessoas e em espaços abertos. A Polycom aposta que se for dada uma ênfase maior para isto haverá um aproveitamento significativo do poder da colaboração face a face, independentemente se as pessoas estão reunidas em uma mesma sala ou se espalhadas ao redor do mundo.

Soluções inovadoras proporcionarão que qualquer espaço suportará estas interações e que a sala de conferências tradicional como a conhecemos atualmente se tornará mais multifuncional ao mesmo tempo em que também será muito mais fácil de ser usada.

5.    A relevância da nuvem chegará muito além da conectividade de colaboração

A nuvem é uma promessa única na prestação de serviços de colaboração, pois está mudando fundamentalmente a maneira como as empresas procuram e consomem os serviços e, ainda, está conduzindo para novos modelos de uso. No passado, muitas das pequenas empresas viam as soluções de colaboração como um artigo de luxo inatingível, além de uma equipe de TI enxuta e orçamento limitado. A tecnologia da nuvem abre oportunidades às pequenas empresas para atuarem em pé de igualdade com seus concorrentes maiores, alcançando através da colaboração um acesso mais fácil aos serviços.

No entanto, as tendências apresentadas realmente “abrirão portas” em 2016, uma vez que estão surgindo soluções de colaboração de primeira qualidade para melhorar a produtividade e a interatividade em todas as empresas. Serviços como análises, diagnósticos, tradução e processamento de linguagem natural desempenharão um grande papel no auxílio e no avanço da experiência do usuário e no apoio aos clientes com dados de uso críticos e ferramentas para operações mais eficazes.

6.    A memória coletiva ajuda a dominar fusos horários

Em 2015, a Polycom previu que uma maior globalização das empresas acabaria por criar uma maior demanda por ferramentas que permitem a colaboração visual. Não importa o quão eficaz seja uma rede de comunicações, isto não pode atenuar os desafios dos fusos horários que são inerentes a uma força de trabalho global. À medida em que prossegue a rápida expansão da globalização, a Polycom acredita que 2016 será o ano de captura de conteúdo de vídeo. Espera-se que um número maior de empresas adotará uma estratégia para “seguir o sol” que dará maior ênfase na memória coletiva – a capacidade de capturar, persistir e compartilhar informação-chave e relevante em toda a empresa.

A Polycom espera transformar a adoção sucessiva de soluções que possibilitam aos usuários a captura fácil e simples de vídeo, áudio e a colaboração de conteúdo em apoio à reprodução e análise de qualquer local e a qualquer momento. Acredita-se que as empresas que se concentram em alavancar a memória coletiva serão mais capazes de preservar a propriedade intelectual chave e a maximizar a produtividade, a criatividade e a aprendizagem.

O que você vê é o que todos nós vemos

A colaboração entre os locais e os dispositivos aprimorou-se rapidamente em grande parte graças à alta qualidade de áudio, compartilhamento de conteúdo e soluções de vídeo disponíveis no mercado atualmente. Porém, a Polycom avalia que, em última instância, o que irá impulsionar a produtividade em 2016 e proporcionar uma experiência mais consistente são soluções que permitem aos usuários compartilhar conteúdo de alta qualidade de maneira automática, simples e intuitiva.

Compartilhar apresentações, documentos e produtos em tempo real é fundamental para a colaboração e, no passado, isto havia sido um desafio para realizar de modo consistente e confiável. As novas tecnologias possibilitam que os usuários tenham a certeza de que o conteúdo visualizado está sendo mostrado com precisão e clareza por seus colegas de trabalho.

Dado que a colaboração muitas vezes gira em torno de mais de um documento - o compartilhamento de múltiplos fluxos de multimídia -, o conteúdo interativo se tornará tão ou mais fácil que ligar um cabo VGA. A anotação, atualização, gravação e distribuição de conteúdo serão todos uma parte desta rica experiência de colaboração.

Nos últimos 12 meses, o mercado assistiu a mudanças que geraram um grande impacto na forma como as decisões de negócios são tomadas. Anteriormente, muitas empresas viam as ferramentas de colaboração como “algo bom para ter”, mas que não eram essenciais para as operações do dia a dia.

Hoje, a Polycom considera que a colaboração se converteu em uma missão crítica. A geração Millennials é, agora, o maior componente da força de trabalho tendo trazido para o local de trabalho do futuro sua atitude, seu comportamento e as suas ferramentas de colaboração. 

As empresas estão tornando a colaboração uma iniciativa estratégica por modificação de espaços de trabalho para além das salas de conferências tradicionais e a rápida expansão das soluções de mobilidade para permitir às pessoas trabalharem onde quer que estejam e sempre que assim preferirem.

A nuvem tem dado acesso a serviços de colaboração em todas as partes em igualdade de condições para as empresas de todos os portes. As novas soluções proporcionarão novos espaços, modelos de trabalho móvel e de centro de sala e ampla colaboração multimídia.

Em 2016, veremos o surgimento deste local de trabalho do futuro já com a colaboração fazendo parte da estrutura de negócios - disponível em qualquer espaço de trabalho, integrada com qualquer tarefa ou fluxo de trabalho, além de proporcionar ao usuário final uma simples e produtiva experiência.

Sobre a Polycom

A Polycom auxilia as empresas a desenvolver o poder da colaboração humana. Mais de 415 mil empresas e instituições ao redor do mundo superam a distância com as soluções seguras de voz, vídeo e conteúdo da Polycom, para aumentar a produtividade, acelerar o tempo de lançamento no mercado, proporcionar um melhor atendimento ao cliente, expandir a educação e salvar vidas. A Polycom e seu ecossistema global de parceiros fornecem soluções de colaboração flexíveis para qualquer ambiente, oferecendo a melhor experiência de usuário, a mais ampla interoperabilidade multifornecedores e uma inigualável proteção ao investimento. Visite www.polycom.com ou conecte-se a nós através do Twitter, Facebook, e LinkedIn.

Este comunicado contém declarações prospectivas dentro do significado das disposições "safe harbor” (“porto seguro") da lei Private Securities Litigation Reform Act de 1995, relativas a eventos futuros, incluindo declarações sobre as nossas previsões tecnológicas para 2016. Estas declarações prospectivas são identificadas por terminologia tal como “antecipar”, “poder”, “acreditar”, “esperar”, “irá” e outras declarações semelhantes. Estas declarações prospectivas estão sujeitas a riscos e incertezas que podem causar resultados reais diferentes materialmente, incluindo a promoção e adoção de determinadas tecnologias e ferramentas no espaço de colaboração, a adoção de diferentes tipos de espaços de colaboração, os futuros mercados em que vamos participar e as soluções futuras que iremos oferecer. Muitos destes riscos e incertezas são discutidos no Relatório Trimestral da Companhia no Formulário 10-Q para o período encerrado em 30 de setembro de 2015, e em outros relatórios arquivados pela Polycom com a SEC. Polycom nega qualquer intenção ou obrigação de atualizar estas declarações prospectivas.

Compartilhar::
Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...: https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

Separador
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
Separador
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar que voce sera atendido. - Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta totalmente automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
Separador

voltar ao topo