TOKIO MARINE SEGURADORA

Termômetro de Crédito GoOn: concessão deve se manter para 53,7%

  • Escrito por  Gustavo Girotto
  • Publicado em Demais
  • Imprimir

O novo levantamento do Termômetro de Crédito da GoOn, maior consultoria de Gestão de Riscos do Brasil, questionou como os executivos acreditam que será o primeiro semestre de 2017? O otimismo observado, logo após o afastamento definitivo de Dilma Rousseff da Presidência da República, apurado na última pesquisa, deu lugar a um clima de diversidade - apontando percepções menos otimista.

O índice bimestral, que capta a percepção de cerca de 200 empresas, no levantamento de dezembro (realizado nas duas primeiras semanas do mês), constatou estabilidade para as novas concessões e uma previsão de elevação do nível da inadimplência.

A primeira pergunta da pesquisa faz referência ao mercado de crédito: Como cada profissional visualiza a evolução da concessão de crédito no mercado para os primeiros seis meses de 2017?

Enquanto a maior parte dos entrevistados (53,7%) ainda acreditam que as concessões de crédito devem se manter nos patamares atuais para os primeiros seis meses de 2017, o destaque foi a inversão da expectativa de melhora das concessões que passou de 41,6% em setembro, contra 21,8%, exatamente perdendo campo para aqueles que agora vislumbram que no primeiro semestre de 2017 as concessões devem cair.

“Ainda vivemos um cenário muito sensível para que possamos apurar uma estabilidade, se junta a isso os primeiros meses do ano que, geralmente, convivemos com um cenário de maior endividamento, sempre motivado pelos impostos de início do ano e das despesas com materiais escolares”, avalia Eduardo Tambellini, sócio Diretor da GoOn.

Inadimplência

Quando o assunto é inadimplência, o Termômetro também mostrou uma inversão das opiniões colhidas, quando confrontadas com a última pesquisa. A porcentagem dos que vinham esperando o aumento da inadimplência subiu de 33,7% em setembro para 54,3% em Dezembro, aparecendo como percepção das maioria dos entrevistados.

Segundo Tambellini, a inadimplência sempre mostra crescimento nos primeiros meses do ano, até é um efeito sazonal e já esperado por todos. “Esse movimento é até normal, mas o desafio é entender como a inadimplência será em comparação aos mesmos meses comparados a 2016”, explica Tambellini.

Desemprego

O desemprego ainda continua sendo o item que mais gera insegurança. Quando questionados: “Como as pessoas percebiam os novos desligamentos previstos em suas empresas e em empresas de familiares ou amigos? – o levantamento constatou um aumento das pessoas que acreditam que ainda haverá muitas demissões: 27,2%. O destaque foi que em setembro 42,2% acreditavam que não ocorreriam mais demissões e, em dezembro, o número caiu para apenas 18,8%.

Em relação a expectativa, quando perguntados “Como você acredita que 2017 será em termos econômicos e políticos?” o resultado mostrou que o setor de crédito acredita que teremos um primeiro semestre bem parecido com 2016, mas vê avanço somente a partir do segundo semestre.

O inicio do mês de dezembro mostrou um cenário político ainda muito abalado. “As perspectivas de melhoria - logo no início do Governo Temer - não tiveram grande durabilidade e a dúvida voltou ao cenário. Constatamos que o brasileiro é um povo otimista: 39% acreditam em um 2o semestre começando a melhorar e 22% acreditam que o ano de 2017 será melhor”, finaliza Tambellini.

Compartilhar::
Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...: https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

Separador
IMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...  www.segs.com.br
Separador
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar que voce sera atendido. - Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta totalmente automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
Separador

voltar ao topo