Brasil, 21 de Novembro de 2017
A- A A+

TOKIO MARINE SEGURADORA

Estadão traz especial Finanças Mais, com destaque para mercado segurador

  • Escrito por  Sonho Seguro
  • Adicionar novo comentario
  • Publicado em Seguros
  • Imprimir
  • Compartilhar::

O mercado segurador ganha destaque na mídia nacional. Depois do Suplemento Seguros e Resseguros divulgado pelo Valor Econômico, hoje foi a vez do jornal Estado de São Paulo (Estadão) divulgar o especial Finanças Mais, numa apresentação que aconteceu na manhã desta sexta-feira, em São Paulo, com a presença do presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn.

A Austin Rating, em parceria com o Estadão, analisou os principais indicadores de 360 instituições do Sistema Financeiro Nacional, como bancos, corretoras, distribuidoras, financeiras, empresas de leasing e seguradoras. Juntas, essas companhias somaram R$ 8,5 trilhões em ativos, R$ 671,8 bilhões em patrimônio líquido e R$ 342,2 bilhões em lucro líquido em 2016.

O especial afirma que o setor financeiro conta com segmentos que avançam e conseguem ter desempenho bem superior ao da economia. Um caso clássico dessa resiliência pode ser notado com seguros e previdência. Dados da CNSeg apontam que o conjunto global (que inclui ramos elementares de seguros, planos de risco e de acumulação, capitalização e saúde suplementar) pulou de 2% para 6% de participação no PIB na última década.

Para especialistas, o avanço mesmo diante da crise é sustentado por dois fatores principais: a maior conscientização/educação financeira por parte da população, que passou a buscar pr odutos de seguros e previdência para proteger patrimônio e renda para a aposentadoria, e um mercado que ainda tem muito espaço a ser explorado.

Contudo, Márcio Coriolano, presidente da CNSeg, alerta: para desenvolver ainda mais o mercado, o governo, precisa usar a regulação para atrair e não inibir a entrada de novos consumidores. Nesse sentido, o País carece, segundo o especialista, de uma regulamentação mais adequada para que os microsseguros — que têm como foco produtos direcionados aos mais pobres — possam se desenvolver no País. Fomentar esse segmento, dessa forma, seria uma maneira de auxiliar a população mais vulnerável, num mercado potencial estimado em cerca de 100 milhões de consumidores.

O especial pode ser visto aqui.

estadao-ranking

Previdência – O Bradesco Vida e Previdência lidera o ranking da categoria previdência de Finanças Mais. Com uma carteira de 2,6 milhões de participantes, a instituição viu sua receita em previdência aumentar 8% em 2016 na comparação com 2015, atingindo faturamento de R$ 36,4 bilhões. A expectativa para 2017, diz o CEO Jorge Nasser, é manter a taxa de crescimento dos anos anteriores, que variou entre 8% e 10%. Para o executivo, com menos pessoas nascendo e menos pessoas entrando no mercado de trabalho, há, portanto, menos profissionais na ativa para financiar a aposentadoria pública. E a tendência é que a busca por previdência privada aumente ainda mais nos próximos anos.

Vida – O grupo segurador Banco do Brasil e ****** liderou o ranking na categoria seguradoras/vida de Finanças Mais, seguido por Kirton e Itau. A instituição fechou 2016 com 9,7 milhões de vidas seguradas, ramo responsável por 33,5% dos negócios do conglomerado. Em segundo lugar no ranking de Finanças Mais está a Kirton Seguros, que teve lucro líquido de R$ 259,57 milhões em 2016. A companhia pertencia ao Banco HSBC e se encontra em transição para o Bradesco, que concluiu a aquisição das operações do HSBC no Brasil em julho de 2016, por R$ 16 bilhões.

Rural – O produto não contemplam nem metade da necessidade. Neste cenário, o Fundo de Catástrofe – lei complementar de agosto de 2010, que aguarda regulamentação – surge como uma ferramenta para alavancar o seguro rural no País ao substituir Fundo de Estabilidade do Seguro Rural (FESR). “O mecanismo (FESR) sofre com dificuldades de acesso aos recursos do orçamento da União e uma das críticas do mercado a ele é o fato de não ter recursos suficientes para garantir a estabilidade do seguro rural”, diz Wady Cury, diretor geral do Grupo Segurador Banco do Brasil e ******.

Auto – O setor automotivo amargou queda de 20% nas vendas de veículos novos em 2016. Para driblar esse cenário, seguradoras que comercializam coberturas para automóveis adotaram estratégias diferenciadas e fecharam o ano com redução de apenas 2,5% no prêmio total. Algumas conseguiram até registrar expansão. É o caso da Tokio Marine, que apresentou crescimento de 7% no número de prêmios, e ocupa a primeira colocação do ranking, seguida por Indiana (Liberty) e Itaú.

Riscos Financeiros – O volume de prêmios emitidos pela seguradora em 2016 R$ 450 milhões, alta de 20% sobre 2015, resistindo à piora do cenário econômico que impactou no volume de obras demandantes do produto. O seguro garantia, incluso no ramo de riscos financeiros e que assegura o cumprimento de obrigações contratuais, responde por 98% das vendas da J. Malucelli, que também emite fianças locatícias, na liderança do ranking, seguida por Pottencial e Austral.

Seguros Gerais – “Mesmo com cenário de retração no Brasil, o mercado de seguros em geral resistiu e cresceu em torno de 10% em 2016”, diz Gabriela Ortiz, diretora-presidente da Caixa Seguradora, primeira do ranking. “Nós investimos bastante em inovação de processos e no lançamento de produtos, principalmente nas linhas de serviços financeiros.” A Fairfax Brasil Seguros Corporativos, segunda no ranking, contabilizou em 2016 ativo total no montante de R$ 1,49 bilhão. A Pan Seguros aparece em terceiro lugar no ranking, com R$ 2,32 bilhões de ativo total em 2016. No mesmo período, a companhia apresentou lucro de R$ 50,6 milhões.

Seguro Patrimonial – A Zurich Santander Brasil Seguros conquistou a liderança no ranking da categoria seguradoras/patrimonial de Finanças Mais, seguida por BB ****** e Safra. Na avaliação de Glaucia Smithson, diretora de seguros empresarias e de vida e previdência corporativos, e de Fábio Tullman, superintendente de grandes riscos, a posição está amparada na especialização que o grupo trouxe para o Brasil em diferenciais como atendimento personalizado. “Conseguimos trazer para o cliente a solução que ele precisa. Pode parecer simplista esse conceito, mas faz toda a diferença no negócio”, comenta Tullman. “Cuidar do cliente não é só olhar a situação específica, mas fazer uma análise profunda para a proteção global”, complementa Glaucia.

Saúde – Bradesco, SulAmérica e Unimed lideram o ranking. “Estamos trabalhando para contribuir com as empresas no redimensionamento de planos e em esforços para reduzir os custos administrativos e de rede”, explica Manoel Peres, diretor geral da Bradesco Saúde, primeira no ranking, e da Mediservice, adquirida pelo Bradesco em 2017 e voltada para grandes corporações. Peres afirma que, mesmo com o redesenho, as coberturas seguem as mesmas, mas há mudanças no patamar de reembolso e de rede credenciada.

Capitalização – Falar em queda no faturamento sugere piora no quadro geral dos negócios. Mas esse não é o caso da Brasilcap, primeira no ranking de seu segmento em Finanças Mais, seguida por Bradesco e Satander. O faturamento, em 2016, recuou 13%, para R$ 5,6 bilhões. Nos demais indicadores, no entanto, só boas notícias, com lucro líquido de R$ 439,2 milhões, 15,9% superior a 2015, e uma base de clientes avançando 23%, a 3,9 milhões de pessoas. Diversificação nos canais de distribuição do produto, foco nos títulos de capitalização mais populares e boa gestão dos ativos explicam o desempenho da instituição.

FONTE: Sonho Seguro

Compartilhar::

Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...: https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

Separador
IIMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...
 
www.segs.com.br
Separador
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar que voce sera atendido. - Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta totalmente automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
Separador

Adicionar comentário

Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Esta ferramenta é automatizada...Sucesso!


Código de segurança
Atualizar

voltar ao topo

Sobre nós::

Siga-nos::

Notícias::

Mais Itens::