Brasil, 15 de Dezembro de 2017
A- A A+

TOKIO MARINE SEGURADORA

O permanente ajuste do capital financeiro

  • Escrito por  Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Adicionar novo comentario
  • Publicado em Seguros
  • Imprimir
  • Compartilhar::

O permanente ajuste do capital financeiro

Por Marcelo Anache

Diante da impossibilidade brasileira de liderar revoluções tecnológicas e, ao mesmo tempo, indisponibilidade de uma moeda conversível internacionalmente, o país é levado a recorrentes crises cambiais, pressões inflacionárias e desequilíbrios orçamentários. Isso tudo implica em uma vulnerabilidade externa estrutural e uma permanente fragilização financeira do Estado.

A partir dos anos 70, a mundialização do capital, sob a hegemonia do capital financeiro, redefiniu, mais uma vez, a divisão internacional do trabalho. Os países subordinados, diante da abertura econômica e dos interesses de cadeias produtivas mundiais (multinacionais), cumprem apenas o papel de produtores de matérias-primas. Para completar, esses países foram obrigados a adequar o mercado financeiro nacional ao mercado internacional, completando na década de 90 o processo de globalização.

Nesse novo capítulo da história, cresceu a dependência dos países periféricos. A dívida pública desses países transformou-se em uma fonte de acumulação para o capital financeiro internacional, deixando os Estados e governos da periferia diretamente subordinados. Diante disso, as políticas macroeconômicas passaram a ter mais limitações em virtude da abertura econômica e da chantagem patrocinada pelo capital financeiro – com ameaças de fugas de capitais, crises cambiais, boicotes e sanções internacionais.

Com a primazia do capital econômico, a fixação de metas de inflação próximas a zero, apoiada em elevadas taxas de juros, bem com a implementação de ajustes fiscais, tornaram-se políticas macroeconômicas permanentes.

A política econômica ortodoxa, iniciada em 2014 com a elevação da taxa de juros e os cortes nos gastos do governo, agravou o quadro econômico e político em 2015. É possível observar que o aumento da inflação não decorreu de uma excessiva demanda global. Na verdade, os preços que têm empurrado a inflação para cima são os chamados “preços administrados pelo governo”, assim como os preços influenciados pelo câmbio e os influenciados, momentaneamente, por circunstâncias climáticas.

Em nenhum dos casos apontados acima a elevação da taxa de juros e os cortes nos gastos do governo tem capacidade de afetar a inflação em um horizonte de curto prazo. Do mesmo modo, os gastos públicos primários do governo federal não são a razão fundamental do déficit público. Afinal, ao menos metade do montante total se destina ao pagamento do serviço da dívida, entre juros e amortizações.

Assim, o caráter de aumento da dívida pública está relacionado à abertura financeira, ou seja, com a entrada de capitais especulativos. Isso faz concluir que o ajuste fiscal não tem capacidade de resolver o problema, já que a dívida é recriada permanentemente na relação do Estado com os mercados financeiros.

Se a hegemonia não é mais do capital industrial, e sim do capital financeiro, qual o real papel do ajuste fiscal? Nesse momento, é garantir a transferência de renda das atividades produtivas para a especulação financeira ou, ainda, limitar a extensão das políticas públicas e transferir renda para os segmentos rentistas. Dessa forma, o ajuste tem, claramente, um caráter de classe: é uma escolha a favor do capital, em especial do capital financeiro.

*Marcelo Anache é coordenador do curso de economia da Faculdade Presbiteriana Mackenzie Rio.

 ------------------------------------------------------------------------------------

Segs.com.br valoriza o consumidor e o corretor de seguros

 

Compartilhar::

Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...: https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

Separador
IIMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...
 
www.segs.com.br
Separador
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar que voce sera atendido. - Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta totalmente automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
Separador

Adicionar comentário

Aja com responsabilidade, aos SEUS COMENTÁRIOS em Caso de Reclamação, nos reservamos o Direito, a qualquer momento de Mudar, Modificar, Adicionar, ou mesmo Suprimir os comentarios de qualquer um, a qualquer hora, sem aviso ou comunicado previo, leia todos os termos... CLIQUE AQUI E CONHEÇA TODOS OS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO. - O Nosso muito obrigado - Esta ferramenta é automatizada...Sucesso!


Código de segurança
Atualizar

voltar ao topo

Sobre nós::

Siga-nos::

Notícias::

Mais Itens::