Brasil, 24 de Agosto de 2017
A- A A+

TOKIO MARINE SEGURADORA

Gerenciamento de Riscos - Os fatores de sucesso para sua implantação

Por Eduardo Person Pardini

Não é por acaso que diversos setores da economia têm exigido que as organizações tenham um processo estruturado de gerenciamento de riscos. As instituições financeiras, sob regulamentação do banco Central, tem esta necessidade desde 2006 através da resolução 3.380. A SUSEP (através da IN 521 de 2015) obriga as organizações, por ela supervisionadas, implantar um processo de gerenciamento de riscos até a data de 31 de Dezembro de 2017.

Leia mais ...

ENTREVISTA: Novo superintendente da Susep aborda desafios e importância do setor de transportes

Nomeado conforme publicação no Diário Oficial da União de 26 de julho, Joaquim Mendanha de Ataídes, corretor de seguros e presidente licenciado do Sincor-GO, é o novo superintendente da Susep. Ele sucede Roberto Westenberger, que cinco dias antes deixou o cargo que assumiu em março de 2014.

Joaquim tem 48 anos e está há 29 anos no mercado de seguros. Graduado em Administração e Marketing pela então Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás) e Master in Business Administration (MBA) em Seguros e Resseguros pela Escola Nacional de Seguros, habilitou-se corretor de seguros em 1989 e, desde 1997, desempenha também atividade de representação institucional junto ao setor. De 1998 a 2000 foi 2º secretário na diretoria do Sincor-GO. Entre 2001 e 2003, ocupou a cadeira de 1º secretário e entre 2004 e 2006, 1º vice-presidente nessa entidade. Em 2007, elegeu-se para seu primeiro mandato como presidente do Sincor-GO. Estava exercendo o seu terceiro mandato (gestão 2014-2018), até ser convocado pelo Governo para assumir o comando da Susep. Desde 2001, ocupa funções na diretoria da Fenacor.

Nesta entrevista exclusiva à revista CIST News, ele fala de seus planos para a nova e desafiadora atuação, destacando o ramo de transportes.

CIST News – Quais são as prioridades de sua gestão à frente da Susep?
Joaquim Mendanha – Dentre elas, a que reputo ser a mais importante é a plena defesa do consumidor. E, quanto mais forte for o mercado de seguros, melhor atendido será o segurado. Então, para atingir essa meta, a Susep deve trabalhar para garantir as ferramentas necessárias para o crescimento sustentado do setor de seguros. 
As prioridades, definidas em conformidade com a orientação econômica do Ministério da Fazenda, passam, também, pela questão da conduta ética de todos os entes supervisionados, requisito básico e indispensável para que o mercado possa funcionar bem e de forma disciplinada.

CIST News – Existem projetos para a área de transportes?
Joaquim Mendanha – É uma carteira de extrema relevância para o mercado de seguros. Não há desenvolvimento econômico se não existirem transportes adequados, especialmente em um país que tem uma dimensão continental, como é o caso do Brasil. Cabe, então, ao mercado segurador atuar para oferecer coberturas diversificadas e adequadas às reais demandas desse segmento.
Ainda assim, a Susep estará atenta para, se for necessário, corrigir, na forma infralegal, eventuais omissões ou lacunas na legislação que, de alguma forma, possa obstaculizar o desenvolvimento desse processo.

CIST News – O CIST é formado por especialistas de toda a cadeia de seguros de transportes, incluindo seguradores, corretores e prestadores de serviços diversos. Como o CIST pode contribuir com o trabalho da Susep? Existe a possibilidade de criação de grupos de trabalho para discutir os assuntos ligados ao ramo?
Joaquim Mendanha – A nova gestão da Susep tem como um dos seus preceitos estabelecer o amplo diálogo com as entidades representativas do setor privado. A nossa disposição é a de ser possível acatar sugestões que possam contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentado do mercado e a ampla defesa do consumidor, como premissas básicas.
Eventualmente, se for comprovada a necessidade de realizar ajustamentos pontuais, não hesitaremos em criar grupos de trabalho visando a discutir questões relevantes para esse segmento e, enfim, propor soluções.

CIST News – Qual a importância das entidades representativas, como o CIST, para o desenvolvimento do setor?
Joaquim Mendanha – Não podemos abrir mão da especialização e extensa experiência acumulada pelos profissionais que integram entidades como o CIST, que poderão ser ouvidos quando necessário, especialmente nos assuntos diretamente relacionados à sua área de atuação.

CIST News – Sua trajetória profissional teve origem na corretagem de seguros, assim como o presidente do CIST, José Geraldo da Silva, é corretor de seguros. Qual a importância de ter corretores de seguros à frente de entidades representativas ou, em seu caso, como a maior liderança do setor? Os anseios do consumidor ganham força?
Joaquim Mendanha – O mais importante é ter um profissional que conheça profundamente o mercado; as suas demandas; e suas reais necessidades. Pode ser um corretor, segurador ou outro profissional qualificado. O essencial, naturalmente, é a experiência profissional. E entendo que posso aproveitar a expertise acumulada em 30 anos de atuação no setor de seguros, como empreendedor, para ajudar este mercado a crescer em bases sustentáveis a e oferecer o melhor atendimento possível ao consumidor brasileiro.

CIST News – Quais os principais desafios do setor? E quais os principais desafios, em especial, para o ramo de transportes?
Joaquim Mendanha – Desafios e oportunidades andam de mãos dadas em mercados como o de seguros, que enfrenta gargalos como a baixa penetração, mas que ainda tem diante de si um gigantesco espaço para crescer. Poucos setores são tão necessários para a sociedade brasileira como o mercado de seguros, que tem a missão de proteger as pessoas, amparar as famílias e garantir a continuidade de negócios para que a sociedade brasileira tenha um suporte necessário no momento em que houver a retomada do crescimento econômico, o que não está tão longe.
Especificamente no ramo de transportes, é imprescindível termos um bom marco regulatório que permita ao mercado oferecer as coberturas necessárias para que esse segmento cumpra, com sucesso, o seu papel de protagonista no contexto da economia nacional.

CIST News – Algum ponto adicional que queira mencionar (sobre o mercado de transportes, mercado em geral, ou sobre a Susep).
Joaquim Mendanha – Apenas pretendo reafirmar a nossa convicção de que o mercado de seguros reúne totais condições para crescer, e evoluir ainda mais, no curso do tempo, em ritmo forte nos próximos anos. E a Susep está pronta para atuar no sentido de oferecer as ferramentas mais adequadas para garantir, repisando, o crescimento sustentado do mercado e a plena defesa do consumidor.

Leia mais ...

Susep Tem Nova Estrutura

Através do Decreto 8.722/16, o Governo Federal redefiniu a estrutura regimental da Susep, criando novas diretorias e alterando as funções de outras gerências. O Decreto entra em vigor no dia 19 de maio e remaneja da Susep para a Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento, 24 cargos em comissões do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores (DAS).

Leia mais ...
Assinar este feed RSS

Sobre nós::

Siga-nos::

Notícias::

Mais Itens::