Brasil, 26 de Setembro de 2016
A- A A+

TOKIO MARINE SEGURADORA

Como a juventude enxerga a pirataria?

O assunto divide as opiniões e, apesar de indicar mudanças, mostra como muito ainda precisa ser feito para inibir o ato.

Hoje, muitos são os canais disponíveis para expor convicções e disseminar ideologias. Contudo, mesmo diante da globalização do pensamento, poucos temas dividem tanto a opinião das pessoas, quanto a prática e consumo da pirataria. Para muitos, comprar produtos de origem duvidosa é apenas uma alternativa para fugir do alto custo dos originais. Outros, porém, além de não entrar na roda da comercialização, ainda condenam o ato. Para saber o ponto de vista da juventude, o Nube – Núcleo Brasileiro de Estágios fez uma pesquisa, com a seguinte pergunta central: “Você pratica pirataria?”. O resultado apontou uma nova trajetória na mudança das gerações.

O estudo foi realizado entre 4 e 15 de julho, em todo o Brasil, e contou com a participação de 8.090 jovens entre 15 e 26 anos. Dentre as quatro possibilidades de resposta, uma liderou do começo ao fim: “Não, apenas compro e uso itens originais”, com 47,02%, ou 3.804 votos. Para Rafaela Gonçalves, analista de treinamento do Nube, essa faixa etária tem encontrado outras alternativas para evitar os artefatos falsificados. “Atualmente, existem muitos sites onde podemos baixar músicas a um custo razoável, lojas de grandes marcas com grandes promoções, programas de fidelidade com preços acessíveis”, explica. Assim, com tantas ferramentas de busca na Internet, tanto consumidor, quanto vendedor podem equilibrar valores e negociar.

Todavia, logo na sequência, 43,08% (3.485) disseram: “Às vezes, quando o original é muito caro”. A escolha revela o fato de, apesar da maioria ter mudado sua percepção sobre o assunto, uma parcela considerável ainda não enxergar a pirataria como um problema social. “Muitas pessoas até acreditam ajudar o tal 'camelô'”, ressalta Rafaela. Por isso, é comum, em grandes centros urbanos, encontrarmos indivíduos ofertando alimentos em estações e trens, equipamentos eletrônicos em barracas na rua e, quem compra, não para pensar na procedência do item. “Vamos parar para refletir: de onde vieram esses objetos? Estão na validade? É fruto de algum furto ou roubo? Infelizmente, em muitos casos, o problema vai muito além do 'pagar barato' e 'evitar impostos'. Existe uma máfia por trás disso”, enfatiza.

Com 6,45%, 522 votantes assumiram: “Sempre uso ou compro piratas, tenho pouco dinheiro”. De acordo com a especialista, é necessário deixar de lado a justificativa da falta de verba, pois isso não “cola” mais. “Diversos fatos comprovam como esse tipo de venda atrapalha o mercado formal e impacta diretamente nas ofertas de emprego, causando um prejuízo ainda maior na economia e, consequentemente, no bolso de todos nós”, comenta a analista. Ou seja, para minimizar a ausência de recursos, também é essencial mudar a forma como e onde investimos. “Afinal, além de impactar no mercado de trabalho, esse tipo de comercialização é crime e quem adquire também participa”, assegura.

Por fim, 3,45% (279) admitiram: “Somente consumo produtos piratas de baixo custo”. Diante dessa resposta, é preciso deixar claro o fato de não ser o preço o vilão dessa história. “Não importa se é 'baratinho', pois continua sendo um artigo fora da conformidade. A qualidade, segurança e direitos são perdidos quando se compra algo sem nenhum respaldo do vendedor”, orienta Rafaela.

Todos os dias, empreendedores sofrem com a pirataria e, muitas vezes, não conseguem aumentar seus negócios devido ao comércio ilegal. “Não podemos ser coniventes com isso. Essa realidade precisa mudar”, incentiva a analista. Para ela, a saída pode estar em duas práticas:

Planejamento Financeiro: muitas lojas dão desconto para compras à vista, guarde aos poucos e tenha tranquilidade na hora de adquirir um bem. Se é urgente, verifique seus gastos e tente encaixar as parcelas.
Pesquisa: evite obter objetos logo na primeira loja, existem muitas variações de preços! Com paciência e consciência dos valores e condições de pagamento, será mais fácil avaliar e comprar algo com o qual se identifique melhor.

Pesquisa: evite obter itens logo na primeira loja, existem muitas variações de preços! Com paciência e consciência dos valores e condições de pagamento, será mais fácil avaliar e comprar algo com o qual se identifique melhor.

Serviço: Jovens revelam se usam ou não produtos piratas

Fonte: Rafaela Gonçalves, analista de treinamento do Nube

Sobre o Nube
Desde 1998 no mercado, o Nube oferece vagas de estágio e aprendizagem em todo o país. Possui mais de 7.200 empresas clientes, 14 mil instituições de ensino conveniadas no Brasil e já colocou mais de 650 mil pessoas no mercado de trabalho. Também administra toda a parte legal e realiza o acompanhamento do estagiário e aprendiz por meio de relatórios de atividades.

Anualmente, são realizadas 10 milhões de ligações, enviados 3 milhões de SMS e encaminhados 700 mil candidatos. O banco de dados conta com 4,2 milhões de jovens cadastrados e todos podem concorrer às milhares de oportunidades oferecidas mensalmente.

Para facilitar a vida dos cadastrados, foi desenvolvido um aplicativo no Facebook para publicação das vagas. O Nube também está presente nas principais redes sociais Twitter, Google+, Linkedin e Youtube. Com a TV Nube, oferece conteúdos voltados à empregabilidade, dicas de processos seletivos, currículos, formação profissional, entre outros. O cadastro é gratuito e pode ser feito no site www.nube.com.br.

Compartilhar::

Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...: https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

Separador
IIMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte.
 www.segs.com.br

Separador
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar que voce sera atendido. - Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta totalmente automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
Separador

voltar ao topo

Compartilhar ou Seguir

Sobre nós::

Siga-nos::

Notícias::

Mais Itens::

SEGS NO SEU IDIOMA::
Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Ao se cadastrar, você aceita todos os Termos e Condições de Uso do Segs.com.br que consta no rodapé de todas as páginas do SEGS.