Brasil, 28 de Setembro de 2016
A- A A+

TOKIO MARINE SEGURADORA

APTA é instituição líder em normas e procedimentos acreditados pelo Inmetro

  • Escrito por  Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
  • Publicado em Demais
  • Imprimir
  • E-mail
  • Compartilhar::

Cerca de 350 mil análises laboratoriais foram realizadas pela APTA em 2015

A competência técnica e a credibilidade dos serviços oferecidos pelos institutos de pesquisa, ligados à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, podem ser comprovadas pela acreditação de mais de uma centena de normas e procedimentos laboratoriais pela Coordenadoria Geral de Acreditação (CGcre), do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), na norma ISO/IEC 17025. A Agência é a instituição de pesquisa líder neste quesito. Em 2015, 350 mil análises laboratoriais foram realizadas pela APTA atendendo padrão de qualidade dos processos produtivos e produtos obtidos.

Os serviços acreditados, oferecidos pelo Instituto Biológico (IB-APTA), Instituto Agronômico (IAC-APTA) e Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL-APTA), abrangem uma ampla gama de diagnósticos, cobrindo desde insumos da produção rural até análises de alimentos prontos para o consumidor. Algumas análises são fundamentais para a importação e exportação de produtos pelo Brasil.

De acordo com o secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, a acreditação dos laboratórios da APTA é fruto dos investimentos do Governo do Estado de São Paulo para modernização dos institutos de pesquisa. “Esses investimentos são fundamentais para as pesquisas e prestação de serviços oferecidos por nossos institutos. Oferecer serviços de qualidade, com padrão internacional, é fundamental para a transferência de tecnologia para o setor produtivo, uma das diretrizes do governador Geraldo Alckmin”, afirmou.

Confira os serviços acreditados pelo Inmetro oferecidos pela APTA

Sanidade animal e vegetal

O Instituto Biológico criou a unidade laboratorial do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Sanidade Animal e Vegetal do IB, em 2014, que agrega unidades laboratoriais que realizam ensaios para diagnóstico de sanidade animal e vegetal. Ao todo, as unidades laboratoriais realizam 40 tipos de ensaios para pragas e doenças em animais e plantas.

O Centro oferece, aproximadamente, 350 tipos de exames, realizando uma média de 162 mil ensaios, por ano, solicitados, principalmente, por veterinários e órgãos oficiais, como as Defesas Agropecuárias e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

O Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Sanidade Animal e Vegetal do IB foi criado a partir da junção do Laboratório de Anatomia Patológica, Laboratório de Bacteriologia Geral, Laboratório de Brucelose, Laboratório de Doenças de Suínos “Washington Sugay”, Laboratório de Microscopia Eletrônica, Laboratório de Parasitologia Animal, Laboratório de Raiva e Encefalites, Laboratório de Bioquímica Vegetal, Laboratório de Entomologia Geral, Laboratório de Doenças Fúngicas em Horticultura e Laboratório de Fitovirologia e Fitolatologia.

Tecnologia de embalagens

O Centro de Tecnologia de Embalagem (Cetea) do ITAL realiza 58 tipos de ensaios acreditados pela CGcre de acordo com a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025, desde 2007. Cerca de 930 ensaios acreditados são realizados, por ano, pelo Centro do Instituto.

O Cetea engloba em seu escopo ensaios para atendimento às certificações compulsórias estabelecidas pelo Inmetro em determinados produtos, em função de sua relevância do ponto de vista de saúde, segurança e meio ambiente, entre eles panelas de pressão, copos plásticos, cadeiras de plástico monobloco e embalagens para produtos perigosos.

O Centro também atende ao mercado interno para a avaliação em relação ao atendimento dos regulamentos estabelecidos pela Anvisa para materiais, embalagens e equipamentos que entram em contato com alimentos, como pigmentos e corantes usados em embalagens, contribuindo para aumentar a segurança nos alimentos e bebidas acondicionados do ponto de vista da saúde pública.

Sanidade avícola

O Laboratório de Patologia Avícola do IB, em Descalvado, é o único no Estado de São Paulo e um dos poucos no Brasil que atesta sanidade de plantéis avícolas para as doenças de influenza aviária e laringotraqueíte, indispensável para o trânsito internacional com vista à exportação de material genético. Cerca de 70% de todo o material genético de frangos e ovos férteis exportados por São Paulo são analisados no Instituto Biológico, que em 2015 realizou 33 mil procedimentos, sendo 18 mil análises de influenza aviária e 15 mil para laringotraqueíte.

O Brasil está se transformando em uma plataforma de exportação de aves de alto valor agregado, incluindo avós, matrizes de um dia e ovos férteis, principalmente pelo bom status sanitário alcançado pelas casas genéticas. O laboratório do IB é acreditado junto ao Inmetro, pela norma ISO/IEC 17025, em todos os escopos de diagnósticos exigidos pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

De acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal, o Brasil é o maior exportador mundial de carne de frango e o segundo maior produtor. Em 2015, o País exportou 4,3 milhões de toneladas de carne de frango, gerando receita de US$ 7,16 bilhões. Os materiais genéticos de frango exportados pelo Brasil, em 2015, produziram US$ 60,4 milhões de receita e São Paulo arrecadou US$ 53,6 milhões com essas negociações. No caso dos ovos férteis, a receita do País foi de US$ 53,2 milhões e a de São Paulo, quase US$ 23,7 milhões.

Resíduos e pesticidas

O Laboratório de Resíduos de Pesticidas do Instituto Biológico realiza análises para identificar resíduos de agrotóxicos em alimentos. Em 2015, cerca de 400 análises foram realizadas na unidade. Dentro desse escopo, é o único laboratório público do Estado de São Paulo e um dos três no Brasil, acreditado pelo Inmetro na norma ISO 17025 (CRL0382). A adoção desse sistema de qualidade garante que as análises realizadas no laboratório sejam aceitas nacional e internacionalmente, facilitando, por exemplo, a comercialização e a exportação de produtos agropecuários e, principalmente, a aprovação pelo consumidor por alimentos seguros.

Solos

Cerca de três mil análises de fertilizantes e de resíduos são feitas, por ano, no Laboratório de Análise Química de Fertilizantes e de Resíduos do Instituto Agronômico (IAC). Desde 2008, está acreditado pelo Inmetro na norma ISO/IEC 17025 para análises de resíduos com potencial de uso agrícola. Em 2011, o Laboratório do IAC foi credenciado pelo MAPA para analisar amostras de fertilizantes para fins de fiscalização. A partir de dezembro de 2015, obteve acreditação também para análise de fertilizantes minerais pelos métodos oficiais da Instrução Normativa 03, que cria o Manual de Métodos Analíticos Oficiais para Fertilizantes e Corretivos.

No Laboratório de Fertilidade do Solo do IAC, a norma ISO 17025:2005 envolve a análise de micronutrientes. Atualmente, a Unidade analisa cerca de 20 mil amostras de solo, por ano. Esse material vem de agricultores, instituições públicas de pesquisa e ensino e de trabalhos de pesquisa do próprio instituto.

O Laboratório de Física do Solo IAC está capacitado para realizar as seguintes análises de atributos físicos: granulometria e argila dispersa em água (com credenciamento junto ao CGcre/Inmetro na norma NBR ISO/IEC 17025:2005), retenção da água, densidade, porosidade, agregação, permeabilidade, infiltração de água, compactação. Foram analisadas pelo Laboratório de Física do Solo, na média dos últimos cinco anos, cerca de cinco mil amostras por ano, totalizando, aproximadamente, 30 mil determinações entre análise granulométricas, de argila dispersa em água e de retenção de água pelo solo.

Citros

A Clínica Fitopatológica, do Centro de Citricultura do IAC, faz diagnóstico de Xylella fastidiosa (CVC), Huanglongbing (HLB), cancro cítrico, nematoide dos citros e gomose. Ela atende a produtores e, principalmente, viveiristas de citros. É a única clínica credenciada no MAPA, para diagnóstico de doenças de citros em São Paulo e outros Estados. Em 2014 e 2015, a unidade do IAC realizou 4.235 análises. A Clínica Fitopatológica está em processo de acreditação pela CGcre/Inmetro na norma ISO/IEC 17025.

 

Compartilhar::

Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...: https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

Separador
IIMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte.
 www.segs.com.br

Separador
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar que voce sera atendido. - Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta totalmente automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
Separador

voltar ao topo

Compartilhar ou Seguir

Sobre nós::

Siga-nos::

Notícias::

Mais Itens::

SEGS NO SEU IDIOMA::
Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Ao se cadastrar, você aceita todos os Termos e Condições de Uso do Segs.com.br que consta no rodapé de todas as páginas do SEGS.