Brasil, 1 de Outubro de 2016
A- A A+

TOKIO MARINE SEGURADORA

Belo Monte subsidiaria energia solar para 2 milhões de famílias, diz especialista

Belo Monte subsidiaria energia solar para 2 milhões de famílias, diz especialista

Em entrevista, Rodolfo Meyer, sócio do Portal Solar, explica as vantagens de integrar geração fotovoltaica à rede elétrica

Desde 2012, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) regulamentou a geração distribuída, na qual pessoas físicas e jurídicas podem ter mini e microgeradores para consumo próprio e devolver o excedente à rede em troca de desconto na conta de luz. A Agência revisou as normas em 2015, através da RN 687/2015, para aprimorar o modelo, mas alguns players do setor ainda resistem à tecnologia com argumentos de que os custos de infraestrutura tendem a aumentar e sobrecarregar aqueles consumidores que não podem investir em energia solar.


"É um argumento que não faz sentido", afirma Rodolfo Meyer, especialista em energia solar e sócio do Portal Solar (www.portalsolar.com.br), hub de informações e empresas da área. Em entrevista, ele explica por quê, na realidade, a descentralização da geração de energia contribui para todo o setor no Brasil, além de destacar os benefícios para o meio ambiente. Confira:

As pessoas que não aderem à geração compartilhada podem ser prejudicadas com o avanço do modelo?
Rodolfo Meyer: Esse é o argumento de algumas distribuidoras, que destacam uma taxa chamada TUSD (Tarifa de Uso dos Sistemas Elétricos de Distribuição), a tarifa utilizada para investir na infraestrutura do sistema. Há dois problemas, no entanto: em primeiro lugar, mesmo que você produza 100% do que consome e receba créditos pelo excesso produzido, ainda assim há uma tarifa mínima que pagará às distribuidoras, chamada de custo de disponibilidade. Além disso, a infraestrutura já está construída! Na realidade, o que traz mais custos para o sistema elétrico nacional é ter que criar dois mil quilômetros de torres e cabos de alta tensão para trazer a energia de uma usina no meio da Amazônia, como Belo Monte, a um custo de R$ 5 bilhões, enquanto poderíamos aumentar a geração nas próprias cidades.

Mas então não há essa sobrecarga de custos sobre infraestrutura?

RM: De forma alguma. Na realidade, a energia solar por si só é uma energia extremamente limpa e, conforme o modelo de geração compartilhada se expande - e aqui incluo também outras fontes como eólica e de biomassa -, tende-se a partir para um smartgrid, que é uma rede de energia inteligente, ou seja, uma rede elétrica melhor e mais sintonizada com o que vemos em países europeus, Estados Unidos e Austrália, por exemplo.

Como contornar o fato de que a instalação de sistemas de geração solar tem um preço elevado?

RM: Se você considerar que, além de desonerar a rede elétrica nacional, a energia solar ainda é uma fonte extremamente sustentável e geradora de empregos, acredito que o governo deveria incentivar mais a expansão dessa tecnologia por meio de financiamentos e subsídios como todos os países desenvolvidos fazem. Interesse há, fizemos um levantamento no Portal Solar e notamos que 40% dos orçamentos pedidos no site são de famílias com contas de energia menores do que R$ 200 mensais, 15% ficam abaixo de R$ 100. As pessoas nos perguntam: mas como posso financiar uma placa fotovoltaica? Para ficar no exemplo de Belo Monte que mencionei, com o que o governo gastou na usina até agora seria possível subsidiar em 100% energia fotovoltaica para dois milhões de famílias de classe média baixa. Dois milhões de famílias que nunca mais precisariam pagar por energia!

Você falou em empregos, consegue estimar quantos postos de trabalho o setor gera?

RM: Sim. Recentemente, a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) divulgou que para cada megawatt de energia solar instalado são criados entre 20 e 30 empregos, o que resultaria na geração de até 99 mil novas vagas até 2018. Mas veja, eles consideraram apenas usinas de grande porte. Quando você analisa geração compartilhada, o potencial é ainda maior e bem distribuído, de forma que essas vagas não se concentram em determinada região, mas espalham crescimento econômico por todo o país.

Na sua opinião, por que ocorre essa resistência à geração compartilhada?

RM: É um movimento econômico natural. Trata-se de uma novidade aqui no Brasil que, à primeira vista, aparenta reduzir a receita dos players estabelecidos do mercado, ou seja, as distribuidoras. No entanto, eu acho que falta ter uma visão mais aberta e perceber que, a longo prazo, esse modelo traz vantagens para todos, tanto do ponto de vista ambiental, quanto econômico.

Sobre o Portal Solar

Portal dedicado à difusão de informações sobre energia solar que reúne mais de mil empresas que prestam esse serviço em todo o Brasil. De forma gratuita, o Portal Solar oferece orçamentos para os interessados em instalar painéis fotovoltaicos em suas casas ou empresas. Hoje, recebe, em média, dois mil pedidos de orçamento por mês. www.portalsolar.com.br.

Compartilhar::

Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...: https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

Separador
IIMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte.
 www.segs.com.br

Separador
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar que voce sera atendido. - Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta totalmente automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
Separador

voltar ao topo

Compartilhar ou Seguir

Sobre nós::

Siga-nos::

Notícias::

Mais Itens::

SEGS NO SEU IDIOMA::
Portuguese English French German Italian Russian Spanish