A- A A+

TOKIO MARINE SEGURADORA

2017: um ano para se construir

  • Escrito por  Secovi-SP
  • Publicado em Demais
  • Imprimir
  • Compartilhar::

2017: um ano para se construir

Falta pouco para terminar 2016, marcado por acontecimentos que, por sua gravidade, levaram o País à beira da derrocada econômica.

O setor imobiliário deve fechar este ano com desempenho de vendas 30% inferior ao registrado em 2015. Juros altos, elevado desemprego e crédito imobiliário escasso afetaram duramente nossas atividades.

A quantidade de distratos foi terrível. O estoque de imóveis impediu novos lançamentos, o que acentuou o desemprego no canteiro de obras e nos escritórios das empresas, as quais tiveram de adotar estratégias agressivas de venda (descontos) para sobreviver.

Adicione-se, ainda, as dificuldades nos licenciamentos, a insegurança jurídica (projetos legalmente aprovados são embargados pelo Ministério Público), a burocracia, as exigências impostas por novos Planos Diretores e legislações de uso e ocupação do solo (restringir para ganhar com outorgas, pouco importando o encarecimento da moradia).

Encerra este rosário, que justifica o pior resultado do mercado imobiliário desde 2004, a crise de confiança, fruto das crises econômica, política e, agora, institucional.

Pensamos que, com a posse do governo Temer, haveria algum tempo para o setor produtivo nacional se organizar. No horizonte, propostas concretas para o ajuste fiscal, como PEC que limita os gastos públicos (aprovada) e da PEC da Previdência (cuja admissibilidade foi confirmada pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados).

Existe, todavia, uma sucessão de fatos que não nos deixa respirar. Cumprindo suas obrigações, a Operação Lava Jato embarcou a sociedade num trem fantasma. Nenhum dia termina como começou. Impossível adivinhar o próximo susto. Predomina a incerteza. Por paradoxo que seja, é a verdade levando o País ao fundo do poço. E ainda há muito a investigar, deletar, vazar e punir.

O que fazer? Cruzar os braços e esperar que próximo ano "cuide" de nós? Ir às ruas pedindo o que já pedimos? Confiar em milagre?
Não é da natureza do empreendedor brasileiro aguardar os fatos. Temos a responsabilidade de provocá-los. Temos de destravar a produção para recuperar e gerar emprego e renda; sustentar as reformas estruturais; e expressar o descontentamento com essa disputa por holofotes entre as instituições. O Brasil merece ser respeitado à altura de sua grandeza.

A sociedade civil organizada precisa assumir o protagonismo que dela se espera para fazer as mudanças necessárias.
Entidades empresariais devem se unir em torno de uma pauta comum e, coletivamente, defendê-la e exigir providências.

Se o juro alto não pode continuar, pressionar, em uníssono. Mas não só nas ruas. Precisamos ir lá, no Congresso, no Palácio do Planalto. Falar com quem tem o poder da pena. Trazer a imprensa para apoiar editorialmente as ações focadas no interesse público.

Enfim, fazer a política no seu sentido original. A 'politéia' da antiga Grécia, pautada no estudo e na aplicação das melhores formas de gerir a pólis (Estado), buscando o bem comum.

A principal missão da sociedade civil organizada é construir 2017. Atuar politicamente; colocar a mão na massa; enfrentar quem deseja o atraso econômico, social e ético.

São os empreendedores e os trabalhadores brasileiros que fazem o desenvolvimento nacional. Ele não cai do céu. É fruto de muito empenho e suor.

Vamos construir 2017! O futuro depende de nós!

Flavio Amary é presidente do Secovi-SP e reitor da Universidade Secovi

 

Compartilhar::

Participe do GRUPO SEGS - PORTAL NACIONAL no FACEBOOK...: https://www.facebook.com/groups/portalnacional/

Separador
IIMPORTANTE.: Voce pode replicar este artigo. desde que respeite a Autoria integralmente e a Fonte...
 
www.segs.com.br
Separador
No Segs, sempre todos tem seu direito de resposta, basta nos contatar que voce sera atendido. - Importante sobre Autoria ou Fonte..: - O Segs atua como intermediario na divulgacao de resumos de noticias (Clipping), atraves de materias, artigos, entrevistas e opinioes. - O conteudo aqui divulgado de forma gratuita, decorrem de informacoes advindas das fontes mencionadas, jamais cabera a responsabilidade pelo seu conteudo ao Segs, tudo que e divulgado e de exclusiva responsabilidade do autor e ou da fonte redatora. - "Acredito que a palavra existe para ser usada em favor do bem. E a inteligencia para nos permitir interpretar os fatos, sem paixao". (Autoria de Lucio Araujo da Cunha) - O Segs, jamais assumira responsabilidade pelo teor, exatidao ou veracidade do conteudo do material divulgado. pois trata-se de uma opiniao exclusiva do autor ou fonte mencionada. - Em caso de controversia, as partes elegem o Foro da Comarca de Santos-SP-Brasil, local oficial da empresa proprietaria do Segs e desde ja renunciam expressamente qualquer outro Foro, por mais privilegiado que seja. O Segs trata-se de uma Ferramenta totalmente automatizada e controlada por IP. - "Leia e use esta ferramenta, somente se concordar com todos os TERMOS E CONDICOES DE USO".
Separador

voltar ao topo

Sobre nós::

 

Siga-nos::

 

Notícias::

Mais Itens::